Estado gasta quase R$ 50 milhões por mês na locação de prédios e salas

O governo gaúcho gasta R$ 48 milhões por ano com aluguel de imóveis onde funcionam secretarias e órgãos públicos. Desse valor, R$ 3,1 milhões por mês se referem à administração direta e R$ 900 mil/mês, da indireta.

Hoje, o controle do gasto com alugueis é descentralizado, ou seja, secretários e gestores têm o poder de decidir sobre alugar um imóvel, ao invés de utilizar um espaço eventualmente disponível em prédio público.

Por considerar que é um gasto excessivo e desnecessário, o Piratini trabalha na elaboração de uma nova legislação sobre patrimônio, que exigirá que, antes de autorizada uma locação, o gestor tenha que esgotar todas as possibilidades de utilizar um imóvel próprio do Estado.

6 comentários:

Anônimo disse...

E que função tem? Não muda nada neste estado pra que gastar?

Anônimo disse...

Pode começar a rever os aluguéis das repartições da SEAPI. Com tantos imóveis vazios, pagar aluguel é um desrespeito ao cidadão pagador de impostos.

Anônimo disse...

Olhem o caso da METROPLAN em pleno bairro Moinhos de Ventos, um andar todo alugado !!
Para que isso com um governo quebrado que não tem dinheiro para segurança publica para a sociedade !!

Anônimo disse...

Que idiotice, se preocupam em cria uma lei que não será cumprida enquanto podiam pensar em ações para redução deste gasto. Tudo lorota igual a responsabilidade fiscal, se lei fiscal resolvesse alguma coisa o pete não teria afundado a economia.

Pedro Lagomarcino disse...

Caro Políbio Braga,
Apenas para constar, a FAPERGS se utiliza destes contratos absurdos de aluguel.
Atualmente está localizada na Av. Borges de Medeiros, nº 251, no 2º andar inteiro. O prédio é conhecidíssimo e pertencia a Companhia de Seguros da União. Está localizado próximo ao Mercado Público.
Um dado interessante, a FAPERGS tem terreno próprio.
Outro dado interessante, a FAPERGS chegou a fazer um projeto para sua sede, o qual foi realizado de forma primorosa pelo arquiteto katchborian.
Infelizmente, o (indi)gestor Estadual da época, "não se lembrou" que para construir uma sede para uma Fundação, além de um arquiteto é necessário, inicialmente, ter os tijolos, embora isso seja uma obviedade ululante (como dizia Nelson Rodrigues).
Atenciosamente,
Dr. Pedro Lagomarcino
OAB/RS 63.784

Pedro Lagomarcino disse...

Retifico: na Avenida Borges de Medeiros, n°. 261, 2° andar.
Ratifico todo o comentário que segue mantido na íntegra.
Atenciosamente,
Dr. Pedro Lagomarcino
OAB/RS 63.784