Postos de saúde e escolas de Porto Alegre são afetados pela greve dos municipários

Os Municipários de Porto Alegre concretizaram a greve acordada entre os sindicatos na última semana. Nem mesmo o esforço da Prefeitura evitou a paralisação desta quarta-feira. Foram prejudicadas principalmente as áreas da educação e da saúde na Capital.

Segundo a Secretaria municipal de Educação, 50 escolas estão parcialmente fechadas, 26 em greve e 22 com atendimento normal. Dos postos de saúde, apenas 1% dos servidores aderiu à paralisação, segundo a Prefeitura.

4 comentários:

Anônimo disse...

Se apenas 1% dos servidores da saúde estão paralisados,explique como estes serviços são os mais prejudicados.Que má vontade com a Saúde!!!!

Anônimo disse...

NESTAS GREVES DE PROFESSORES QUANDO NÃO HÁ AULAS, SERÁ QUE EXISTE UM CONTROLE DOS ALIMENTOS ESTOCADOS PARA A MERENDA?

CREIO QUE É ALGO A SER VERIFICADO.

POIS, POIS, ...

Anônimo disse...

Quanto às escolas não darem aulas tudo bem, lá os professores fazem de conta que ensinam e os alunos fazem de conta que aprendem, mas cadê a justiça que não decreta ilegalidade da greve pelo menos nos postos de saúde?

Anônimo disse...

Se acham que está ruim com os servidores municipais em greve, esperem até uma greve geram dos servidores Estaduais (da segurança, educação e saúde)... cobrem do Governador antes que ela seja deflagrada, que tem a perder é a população...