Maioria esmaga vanguarda do atraso e aprova dois dos 10 projetos de ajuste fiscal e reforma do Estado protocolados por Sartori

Acabam de ser aprovados o primeiro e o segundo  dos dez projetos de ajuste fiscal e reforma do Estado encaminhado por Sartori à Assembléia do RS.

A base aliada, ampla maioria, impõe agora seu ritmo parlamentar e limpará a pauta ainda hoje para novas votações.

A oposição fracassou e os ativistas xiitas e provocadores que fecharam ontem a Assembléia, hoje foram contidos pelas forças da ordem.

O PT e seu satélite PSOL retiraram-se do plenário, mas não seus aliados PCdoB e PTB, que votaram contra o governo. No PTB, o deputado Marcelo Moraes ficou com os projetos.

A maioria impõe vitórias aplastantes sobre a vnaguarda do atraso, com votações cujos resultados tem sido invariavelmente de 35 x 5. 

Foi aprovado o projeto de lei  209: Impede que o servidor público incorpore função gratificada (FG) para fins de aposentadoria se tiver obtido o benefício ao exercer o cargo em outro poder.

13 comentários:

Anônimo disse...

Políbio, já estava tudo montado, desde ontem.

Anônimo disse...

É justo.
Função gratificada não é salário, é um plus temporário enquanto se exerce um cargo. Findo o exercício, fim da gratificação.

Anônimo disse...

Aprovados os 10 projetos será necessário que se encaminhe um novo projeto de lei impedindo que os eleitores elejam governos populistas perdulários pseudosocialistas corporativistas que sugam os recursos públicos para pagar uma casta de servidores privilegiados enquanto os investimentos nas atividades essenciais ao estado (saúde, segurança e educação) desaparecem . Ou aprendemos a votar ou o Sartori será a Yeda na próxima eleição !

Anônimo disse...

Ótimo, agora temos que torcer para que o aumento de ICMS passe com essa facilidade no dia 22.

Emmanuel disse...

Isssaaaa !! Dá-lhes... Rio Grande!

Anônimo disse...

O Rio Grande do Sul agradece as medidas aprovadas, inclusive cumprimentar a Presidência da Assembleia pela condução ontem, quando setores queriam fazer terrorismo, mas saíram frustados!

Anônimo disse...

Mas poderia estar montado desde zilhões de anos atrás...
Já era para ter sido aprovado muitos anos antes... Acabar com este bando de vadios que vivem às nossas custas... às custas do que REALMENTE trabalham...

elias disse...

Falta agora passar a limpo as mordomias sem fim e o ralo que são o poder legislativo e o judiciário.

Vamos lá deputados - façam história!

Anônimo disse...

TÁCA-LHE PAU GRINGÃO! NÓS TEMOS QUE RECUPERAR O TEMPO PERDIDO COM 8 ANOS DE PT NO GOVERNO DO ESTADO!

Anônimo disse...

Boa. É dever do deputado estadual ajudar a recuperar o Estado. Agora falta algo que dê recursos no curto prazo: aumentar o ICMS. Deve fazê-lo por dever de ofício. Mais tarde deverá protocolar a redução dos cupinchas dos gabinetes dos deputados e do Sartori. E ainda acabar com a aposentadoria integral dos deputados e governadores.

Anônimo disse...

Sinto vergonha alheia lendo os comentários. Um monte de gente que não sabe ver o outro lado da moeda. A maioria fala, mas não entende como funciona o RPPS. O Governo se financia em cima dos servidores. Esquecem-se que todo servidor paga 13,25% de alíquota sobre a remuneração bruta. Não é nada de graça. Todo servidor contribui e muito para sua aposentadoria. Um Estado tão carente de receitas vai abrir mão de muito dinheiro.

Anônimo disse...

Os mesmos que aqui defendem o aumento de ICMS, são os mesmos que não querem aumentar o ICMS. Dois pesos, duas medidas

Anônimo disse...



E quem não gostar, tem sempre a porta da rua para se dirigir !!

É só procurar emprego no mundo real para acordar dessas mordomias de marajá públicas!