Vendas de free shops uruguaios vizinhos do RS despencaram 40% no primeiro semestre

No primeiro semestre, despencaram 40% as vendas dos free shops uruguaios localizados nas cidades que fazem divisa com o RS.

É tudo consequência da desvalorização do real frente ao dólar e da incerteza dos consumidores brasileiros em relação ao futuro. 

Muitas lojas que vendiam alimentos e confecções fecharam, desempregando mil traBALHADORES.

Os free shops pesquisados são os de Artigas, Rivera, Cerro Largo e Rocha. 

3 comentários:

Anônimo disse...

Sim, e alguém já contabilizou os prejuízos que causaram ao comércio brasileiro no lado brasileiro durante 15 anos ?

Foi uma farra bilionária deixada do lado de lá que sequer beneficiou as cidades uruguaias que continuam um verdadeiro lixo. Não tem limpeza pública e nem serviços que justifiquem essa receita toda.

E ainda querem free-shops nas cidades brasileiras para transformarem essas cidades referidas uma feira de camelôs de produtos piratas e falsificados a "la Paraguay"!

Vai ser uma esculhambação total !!

Anônimo disse...

Tenho ido mensalmente a Rio Branco (Jaguarão)e, ocasionalmente, ao Chuy. Nos últimos meses, observo a cada visita que os freeshops estão reduzindo/fechando/desativando parte das lojas e demitindo funcionários. O movimento é cada dia menor e algumas lojas estariam apenas esperando o eventual incremento das vendas de Natal/Ano Novo, para tomarem medidas ainda mais drásticas. A crise brasileira e gaúcha se abate com força sobre os nossos vizinhos do sul.

Anônimo disse...

Será que a venda de armas e munições também está em crise nesses free shops? Ah, isso é proibido, não existe, como sou tolo!