Sartori avisa que atrasará de novo o pagamento da dívida com a União

Sartori parece descontraído demais. - 


O governador Ivo Sartori anunciou ainda há pouco que não pagará novamente a dívida do Estado com a União.

São R$ 280 milhões.

A União já avisou que bloqueará de novo as contas bancárias do Estado e confiscará o dinheiro devido.

Ivo Sartori também confirmou que pagará os servidores em quatro parcelas de 8 tranches, conforme o editor informou ontem a noite (leia abaixo).

O governador, que ontem, na Expointer, resolveu fazer uma brincadeira com seu colega Geraldo Alckmin, dançando e rindo, pediu desculpas ao distinto público, esta manhã. O governador tem encarado a crise com sangue frio surpreendente, mas em determinados momentos passa dos limites e tira a seriedade da posição que mantém o governo sobre a crise.

8 comentários:

Anônimo disse...

A SITUAÇÃO DO FUNCIONALISMO
Diante desta ronha, os depósitos judiciais, que não são receitas do Estado, devem ser utilizados, tal como vinha sendo feito; não tem outra solução; sob pena de transformarem o Fa(l)rso Noro em herói; ele usou os depósitos judiciais, como outros fizeram, num valor alto; deu aumentos salariais parcelados até 2018, pois sabia que o tesouro não podia suportá-los de uma vez só; pedalou; aí o governante seguinte, além de ter que atender aos pedidos de aumentos anuais em seu período de governo, terá que pagar o aumento pedalado pelo anterior.
Diante do inevitável, os depósitos judiciais devem ser utilizados para pagar o funcionalismo.

Anônimo disse...

NÃO É SANGUE FRIO É COMPLETA FALTA DE RESPEITO COM ELEITORES.

TÍPICO DE PESSOA "BIRRENTA".

Alberto disse...

Surreal o que Dilma e Sartori estão fazendo. Além dos 'estelionatos eleitorais', a falta de cortes nas despesas monstruosas e de não incentivar os investidores e empresários, agora enviam a conta para os contribuintes e trabalhadores pagarem além de não exigirem punição aos casos de desvios de bilhões em corrupção como foram os casos Detran, Rodin, Petrolão, Eletrolão, BNDES, Cartões Corporativos...

Lucaspsb disse...

Vai repetir o que houve agora. A redução de gastos é pra ontem Gringo! Quem dança somos nós!

Aliás

Que negócio é esse de servidor público de carreira há mais de 15 anos no pega ficar dependendo de aluguel ATÉ HOJE? Ué, e o planejamento foi pro brejo?
O pessoal não vai mais poder ir pras "urópa"

Anônimo disse...

1 ) Pagamento em dia do funcionalismo usando imediatamente os depósitos judiciais

2) Revisão das isenções fiscais para transnacionais

3) Fim da aposentadoria para governadores

4) Fim das aposentadorias especiais para deputados

5) Fim dos auxílios para magistrados

6) Idade mínima para aposentadoria aos 60 anos para todo mundo

7) Fim de pixulecos como licença-prêmio

8) Regime único de aposentadoria para setor privado e público

9) Só aprovar aumentos para deputados, secretários e governadores se os mesmos forem concedidos aos demais

10) Impostos maiores sobre heranças e impostos sobre grandes fortunas

11) Diminuir para cinco vezes a diferença máxima entre o maior e o menor salário do serviço público em todos os poderes.

Anônimo disse...

80% DOS EXECUTIVOS GANHAM MENOS QUE O AUXILIO MORADIA PARA JUÍZES E PROMOTORES. (zerohora).

ENTÃO POR QUE NÃO PAGAR O JUDICIÁRIO E O LEGISLATIVO PARCELADO E OS PEQUENOS INTEGRALMENTE. SINAL CLARO DE DIRECIONAMENTO PARA COM OS MAIS FRACOS.

Anônimo disse...

E ele dança e dá risada, não tá nem aí, o dele tá garantido.

Anônimo disse...

Não bota a dilma nessa trouxa, digo, tucano das 10:26, porque a União não atrasa e não parcela os vencimentos dos Servidores Federais.