Má hora de Dilma anima Bolsa, que sobe 5% na semana.

Animado com a queda de popularidade de Dilma, o que indica possibilidade de derrocada do seu projeto de reeleição, que é o que mais quer o mercado, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou em alta de 0,24% nesta sexta-feira (28), a 49.768,06 pontos. É a maior pontuação de fechamento desde 15 de janeiro, quando o índice encerrou o dia a 50.105,37 pontos. Com isso, a Bolsa encerra a semana com valorização de 5,04%. No mês, o índice soma alta de 5,68%. No ano, no entanto, o Ibovespa acumula queda de 3,38%. 


. A alta da Bolsa nesta sexta foi puxada de novo, principalmente, pelo bom desempenho das ações das Petrobras, o que também parece um contrassenso diante das más notícias sobre a companhia.  As ordinárias da petroleira (PETR3), que dão direito a voto, ganharam 1,28%, a R$ 15,01. As preferenciais (PETR4), que dão prioridade na distribuição de dividendos, subiram 0,58%, a R$ 15,66. 

10 comentários:

Anônimo disse...

Claro que a Petrobrás só poderá se valorizar, pois começaram a responsabilizar os autores das falcatruas petralhas na empresa.
De agora em diante, por um bom tempo, a empresa será fiscalizada de cima e os dirigentes e governantes não poderão dilapidar mais do que já fizeram. Ao contrário vai aparecer os podres que o mercado já sabia e que só o governo e os políticos a grande maioria alinhados com o governo não queriam que mexesse pois estava dando um bom retorno para eles.
Com isto se espera que a empresa via entrar numa rota de medidas de austeridade e seriedade.
Mas ainda falta retirar de lá muitos petralhas.

Anônimo disse...

Piloto da Avianca é demitido após xingar nordestinos no Facebook
Ele reclamou do atendimento em um restaurante em João Pessoa, na Paraíba, porque um prato demorou a chegar.....

Um copiloto da Avianca foi demitido nesta sexta-feira, 28, após ter feito comentários preconceituosos sobre nordestinos em sua página no Facebook na noite de quinta-feira.

Ele reclamou do atendimento em um restaurante em João Pessoa, na Paraíba, porque um prato demorou a chegar. "Para manter o padrão porco, nojento, relaxado, escroto de tudo no Nordeste como sempre". O caso foi divulgado pelo apresentador de um programa local Nilvan Ferreira.

A Avianca afirmou em nota que "repudia veementemente o comentário atribuído a um funcionário seu, veiculado nas redes sociais, de cunho preconceituoso" e que "qualquer ato contrário à ética é desprezado" pela companhia. A empresa reforçou ainda o "seu respeito e admiração por todos os povos, independentemente de sua origem."

PS: bem típico dos blogueiros do blog.
PS: b

Anônimo disse...

É impressionante, quanto menos PT no governo, melhor fica o Brasil, tudo o que é progressista e honesto funciona melhor!

Anônimo disse...

A Bolsa e um STF normal
Parece que o RDC desagradou muita gente. Daí, o silêncio....

Carta Maior: Wanderley Guilherme dos Santos:

Ao remeter o mensalão tucano à instância apropriada de julgamento, o STF, em autocrítica, definiu a etiqueta da AP 470: foi mesmo um julgamento de exceção.

Segundo a versão da imprensa, o Ibovespa teria subido esta semana devido ao rebaixamento de grau do País patrocinado pela Standard&Poor’s e pelo o IBOPE aquecendo as oposições com a pesquisa sobre avaliação do governo. Finalmente, colhidas as necessárias assinaturas, o Senado pode instaurar uma Comissão Parlamentar de Inquérito sobre os negócios entre a Petrobras e a Astra a propósito da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, também promovendo a alegria antecipada dos pré-candidatos oposicionistas, prevendo uma devastação do governo. Leitores amadurecidos devem estar tão entediados com a versão da imprensa quanto com o estilo modorrento deste parágrafo. Vamos a outra.

O Ibovespa, altar de todos os rentistas, bem que podia revelar-se satisfeito por motivos distintos. Aprovou-se, na semana, o marco civil da internet e o início da legislação definitiva sobre o regime diferenciado de contratações públicas (RDC), ato capaz de revolucionar a administração dos órgãos de Estado se monitorado com rigor. A obrigação de licitar toda compra governamental (grampos e escutas inclusive) representa uma ferramenta burocrática adequada à sabotagem de qualquer plano de governo. Faz parte das razões que explicam os atrasos nas grandes obras públicas (em associação com os poderes paralisantes do Tribunal de Contas da União), cobrado como fracasso pelas versões midiáticas.

Ao contrário das agências de avaliação, a opinião praticamente unânime dos economistas de prestígio internacional consagra o Brasil como um dos menos afetados em todo mundo pelo desabamento da economia internacional em mais uma das quedas anunciadas pela teoria dos ciclos capitalistas. Se o País está arranhado convém olhar para os hematomas dos que se submeteram ao tipo de ortodoxia adotado pelos assessores dos candidatos à Presidência, cujo programa é fazer do Brasil uma gigantesca Espanha. Os investidores da Ibovespa podem se animar com competentes juízos internacionais antes que com o inoportuno velório dos farejadores de carniça. Para estes, a fusão de duas das maiores firmas no comércio do açúcar criando, nesta semana, a maior trading do mundo (metade nacional, metade americana), a ser responsável por 25% das exportações globais de consumo, deve representar formidável carniça futura. E passam a torcer pela versão que eles próprios inventam.

Ao remeter o mensalão tucano à instância apropriada de julgamento, o Supremo Tribunal Federal, em autocrítica, definiu a etiqueta da AP470: um ponto fora da curva, isto é, um julgamento de exceção. O STF voltou à normalidade. Este evento, retorno à previsibilidade jurídica, animou o Ibovespa, com certeza. Ao mesmo tempo, a direita e a esquerda se agitam a propósito de certo cinqüentenário: a primeira, nostálgica, a segunda, reivindicativa. Os ânimos permanecerão assim até que o acontecimento originário se transforme em cisco histórico como o golpe de 37, por exemplo, ou como os 18 do Forte de Copacabana, diante do já então enorme percurso coberto pela democracia.

Com sintomas da síndrome de Estocolmo, a opinião pública parece tomar o progresso antecedente como natureza, desconsiderando o mérito da política que a tornou possível. Pois se a democracia e o progresso se transformaram em natureza cumpre aos democratas zelar por sua preservação. A bandeira anti conservadora vem a ser a sustentabilidade da democracia e do bem estar social, condição necessária à garantia dos ganhos efetuados. Alerta contra a mudança em direção ao passado.

Anônimo disse...

Os analistas se surpreenderam com o baixo índice de aprovação quanto ao emprego, dizendo que com o desemprego em baixa não seria coerente. Esse é o fenômeno da "tartaruga de cacimba" que quando jogamos o balde ela encolhe o pescoço para não levar a lambada. O povo já está se antecipando, porque sabe que a economia nessa desordem, com inflação em alta, consumo e investimentos em baixa, logo, logo as empresas começam a demitir. Teremos um "deja vu" do governo Sarney.

Anônimo disse...

Esquerdistas somente seguram a bandeira da democracia para tomar o poder, depois fazem como na Venezuela e mais tarde ainda como Cuba. Simples, honesto e direto.

Anônimo disse...

Sr Polibio Braga

O vendedor de linhas faturou alto,mais de 40 linhas.
Acredito que deve ter sido elogiado,em tempos de ROUBABRAS OU PASSADILMA,qualquer linha que não toque no assunto é bem vindo.
OLHA O VENDEDOR DE LINHAS AÍ GENTE
19,21
Saudações

Anônimo disse...

Até o tal mercado, que tanto ganhou com o pt (ex. bancos) não aguenta mais e quer mudança.

Luiz disse...

A valorização das Bolsas e do Real ente o dólar é o reflexo d última pesquisa eleitoral que cola Dilma/PT com amplo favoritismo podendo dar de goleada ainda no primeiro turno.
O resto é conversa de economista que comprou o diploma

Anônimo disse...

Algum comentário contra ou favor, com argumentos anonimo das 21:40 ou, como nas outras vezes, por falta de argumento, vai ficar critica das linhas?