Marcelo Aiquel - Os rotos falando dos esfarrapados

Eu realmente tenho me impressionado muito (negativamente, é óbvio) com a avalanche de pessoas que começaram – sim, começaram, de uma hora para outra – a vestirem o “manto” da decência e se tornaram – também de uma hora para outra – as vestais da seriedade.
        
Gente que votou no Temer (ele que era o vice na chapa da ANTA, e foi escolhido por estes agora críticos ferrenhos do governo), gente que deu seu aval ao PMDB corrupto – ou ele não era assim, antes? – e hoje brada pela sua renúncia geral.
        
Com que moral?
        
Ah, com a mesma falsa moral do senhor Procurador Geral da República?
        
Ele, que há poucos meses atrás, “fez vistas grossas” a outra gravação envolvendo a então presidente 

Dilma. Por que esta “seletividade” de moral?

CLIQUE AQUI para ler tudo.

20 comentários:

Anônimo disse...

com quem moral tu fala da presidente eleita coxinha?

Anônimo disse...

O Pt faz mal ao Brasil. Os esquerdistas fazem mal ao país. Pregam uma ideologia que criaram para beneficio próprio. O Lula tem que ser banido da vida política do país. Há um envenenamento constante do pensamento enquanto se tiver essa deturpação brutal do pensamento mantida pelos Petistas,et caterva.O país tem que se libertar dessa escoria que prega a bagunça,o nada o poder pelo poder,o uso dos pobres em nome de ideologia.O FHC também usou essa farsa.Os brasileiros do bem tem que libertar de falsas ideologias,venham de onde vierem.

Anônimo disse...

Também não votei no Temer. Sempre fui contra os que tem o "T" na sigla partidária.

Anônimo disse...

Se existe alguma seletividade "moral" ou não deve ser por parte do articulista, afinal o traíra foi o único Presidente do Brasil "de todos os tempos" a ser denunciado pelo PGR por crime comum e será denunciado pelo menos mais uma ou duas vezes.

Dilma foi cassada por um movimento midiatico, juridico politico por "pedaladas fiscais", que todos Presidentes, inclusive o traira e todos governadores/prefeitos fizeram e fazem. Para se eximir dessa "responsabilidade" basta que o Presidente/Governador/Prefeito tenha tenha maioria no Legislativo.


Nelson disse...

Nota-se, inclusive, exemplos desta seletividade moral aqui nos comentários.

Anônimo disse...

Exatamente isto, com a falsa moral SELETIVA do PGR. A mesma falsa moral que liberou o Procurador Miller, seu braço direito, para ir trabalhar na Banca de Advogados da JBS, no dia seguinte , sem a devida quarentena legal . A mesma falsa moral que em 30 dias concluiu a Delação Premiadissima dos Batista, em prazo recorde, em condições super vantajosas para os donos da JBS , permitindo que viajassem livres , imunes e impunes para os EUA .!!!

Anônimo disse...

Meu Deus !!! O Brasil está à deriva, nossa economia "derretendo" dia a dia, nossa segurança é um caos, saúde idem, desemprego assustador, a população que vive nas ruas aumentando e a ROUBALHEIRA dos corruptos não cessa nunca ... Mas, pelos pronunciamentos de nossos generais, tudo vai bem, Nossas instituições estão "funcionando" ... SERÁ MESMO ??? ou eles estão vivendo em outro Planeta e ainda não sabemos ??? Na próxima reencarnação quero ser militar também ...

Anônimo disse...

Janot pede vistas do inquérito 3105 e um divórcio enrolado pode voltar a assombrar Temer; Erika será intimada a contar tudo?

27 de junho de 2017 - Viomundo

A melhor defesa é o ataque.

Michel Temer, ao desqualificar hoje a denúncia feita contra ele pela Procuradoria Geral da República, sugeriu que Rodrigo Janot talvez tenha embolsado parte dos milhões recebidos pelo ex-procurador Marcelo Miller, que trocou a PGR pelo escritório de advocacia que fechou o acordo de delação premiada dos executivos da JBS:(...)

Assim que foi fechada a delação da JBS, como o Viomundo frisou à época, os investigadores foram à jugular de Temer, com operações de busca e apreensão na empresa Rodrimar, em Santos, e na Ageplan, do coronel aposentado da PM João Baptista Lima Filho.

A Rodrimar é suspeita de turbinar a carreira do então deputado federal Michel Temer através de pagamento de propina em contratos envolvendo o porto de Santos. O coronel Lima seria o operador de Temer, o “laranja” encarregado de esconder dinheiro arrecadado de forma ilícita.

Agora, um divórcio litigioso antigo, que deu entrada em 11 de agosto de 1999, é um fantasma que pode voltar a assombrar Temer.

Na denúncia contra Temer oferecida por Rodrigo Janot ao STF, o PGR pede vistas do inquérito 3105, que tramitou no STF e ficou sob a relatoria do ministro Marco Aurélio.

A apuração tratava de suposto pagamento de propina ao ex-presidente da Codesp, a Companhia Docas de Santos, Marcelo de Azeredo, e ao próprio Temer.

“É preciso analisar detalhadamente os autos do inquérito 3105, a fim de verificar se os fatos ora mencionados são conexos àqueles”, escreveu Janot. É a justificativa que o PGR encontrou para puxar as informações do inquérito para dentro das novas denúncias contra Temer.

Aquele inquérito, o 3105, nasceu do processo 0063.2820-2, que correu na Vara da Família e das Sucessões do Foro Central de São Paulo.

Nele, Érika pede “reconhecimento e dissolução de união estável cumulada com partilha e pedido de alimentos” a Marcelo de Azeredo, apaniguado de Temer que exerceu vários cargos públicos por indicação do padrinho.

Na ação, da qual misteriosamente Erika desistiu posteriormente, a hoje psicóloga (com ênfase no comportamento do consumidor) denuncia Marcelo por cobrar propina numa “série de licitações para terceirização de alguns serviços ou concessão de outros, ou concessão de uso de terminais de embarque/desembarque [do porto de Santos]. Estas ‘caixinhas’ ou ‘propinas’ eram negociadas com os vencedores das licitações ou com os concessionários e, repartida entre o requerido, seu ‘padrinho político’ o Deputado Federal Michel Temer, hoje Presidente da Câmara dos Deputados e um tal de Lima”.

“Da empresa Rodrimar, recebeu [Marcelo de Azeredo] R$ 150 mil, sempre com a participação dos outros dois sócios, constando, ainda, uma doação de campanha para Michel Temer de mais de R$ 200 mil”, diz a inicial da ação de Erika.

Em junho de 2016, o Viomundo descreveu a longa viagem do processo envolvendo Temer nascido das denúncias de Erika. Calculamos que só nos negócios elencados por ela na ação de divórcio o hoje ocupante do Planalto arrecadou R$ 2,7 milhões em valores não atualizados. (...)

Eventualmente, tanto Marcelo quanto Erika podem ser chamados a confirmar ou não informações constantes do inquérito 3105, arquivado pelo ministro Marco Aurélio em 2011.

Na página oficial do STF, já consta que o PGR pediu vista dos autos.

Mordaz disse...

Seletividade moral é equiparar a gravação de Lula/Dilma com a de Temer/Joesley.

Anônimo disse...

O pior é ter cânceres morais proclamando aos quatro ventos de que são a própria cura do câncer.

Anônimo disse...

Anônimo das 14:07 hs dilma foi cassada por pedaladas para que o processo fosse rápido, mesmo assim durou mais de hum ano, enquanto o do Collor não durou um mês, se caso fosse incluido, Pasadena entre outras coisas, estaria correndo na justiça ad eternun . Hoje ela e o lula estão respondendo por outras coisas.Mas não pense que ela só tem as pedaladas para responder, ou é só, ? O que vc acha?

FAÇANHA,O INTEGRALISTA disse...

Qual governo não é ao menos 1 grama "corrupto"? O poder sempre leva o político a escorregar, ao menos um pouco, para além do Bem e do Mal. Digamos que Sergio Cabral "exagerou", mas o lema de Adhemar de Barros, aquele grande líder de São Paulo, não era "ROUBA, MAS FAZ"? Foi candidato à Presidência, foi governador do seu Estado...
O eleitorado não dá a mínima para tais questões; a Política não é o mesmo que a vida em sociedade, os valores perseguidos diferem bastante, tem pouco a ver com Moral ou ideais religiosos.
A grande questão não é bem Temer, é Lula, o franco favorito para as eleições de 2018.
Coitado do Moro se prender Lula, pois com a miséria campeando no País do jeito que está, temo pela guerrilha urbana; aliás, os coitados seremos nós, os que não poderão passar uns meses num apartamento em Paris, a espera que o fogo apague.
Moro, Janot, os procuradores federais, a PF, fornecem ótimo combustível para abastecer as caldeiras das empresas jornalísticas; aliás, logo deverá sair alguma novela baseada nesse pandemônio NEOLACERDISTA...

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Justiniano disse...

Muitos petralhas pregam moral de cueca suja!!!

Anônimo disse...

PGR isenta Dilma de responsabilidade pela compra de refinaria:

23/07/2014 - G1

Senadores pediram apuração sobre se houve negligência na aquisição.
Rodrigo Janot entendeu que não houve irregularidades e arquivou caso.

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, determinou o arquivamento de apuração aberta para averiguar se houve irregularidade na aprovação da compra da refinaria de Pasadena, no Texas, em 2006, por parte do Conselho de Administração da Petrobras e da presidente Dilma Rousseff, que presidia o conselho à época.

A investigação foi pedida em março por um grupo de senadores da base aliada e de atuação independente, entre eles Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), Ana Amélia (PP-RS), Rodrigo Rollemberg (PSB-DF), Cristovam Buarque (PDT-RS) e Pedro Simon (PMDB-RS).

O procurador entendeu que não é possível "imputar o cometimento de delito de nenhuma espécie" aos integrantes do conselho. O documento foi assinado na terça-feira (22) e divulgado nesta quarta (23).

PS: O anonimo das 14:07 é bom se informar antes de escrever bobagem. Dilma até os dias de hoje não foi denunciada por nenhum crime, nem antes e nem depois de ser Presidente (ao contrário do traira), esses são os fatos o resto é mimimi, como todo Presidente tem um ritual a ser seguido, em caso de impedimento. O impedimento de Collor teve o regramento da época.

Anônimo disse...

Confundir Ademar de Barros, Maluf ou outro politico com os 13,5 anos no desgoverno é demais.Maluf e Ademar nunca aparelhou o Estado como projeto de poder.Com Malufs e Ademares o pais, Estados ou Municipios avançam, progridem. Com projetos ideologicos regados a incompetencia, corrupção e aparelhamento do Estado, leva qualquer país a bancarrota e o povo é quem sofre. Os dirigentes e seus apaniguados vivem nababescamente, vide Cuba, Venezuela ou Coreia do Norte.Vê se na Venezuela falta papel higiênico para Maduro e seus cupinchas?

Anônimo disse...

Aviso aos petralhas ladrões do dinheiro público, quem elegeu o Temer, foram VCS. Quem votou na La Loca da Janette tb votou no Temer. Querem que eu desenhe...??? ou não precisa, vcs já compreenderam...???

Anônimo disse...

Grampo revela que Aécio pediu R$ 2 milhões a dono da JBS:

Gravação foi entregue por Joesley Batista à PGR. Primo do senador foi filmado recebendo o dinheiro

LAURO JARDIM / GUILHERME AMADO - 17/06/2017 - O Globo

Joesley Batista entregou à Procuradoria-Geral da República (PGR) uma gravação que piora de forma descomunal a tempestade que já cai sobre a cabeça de Aécio Neves (PSDB-MG). No áudio, o presidente do PSDB surge pedindo nada menos que R$ 2 milhões ao empresário, sob a justificativa de que precisava da quantia para pagar despesas com sua defesa na Lava-Jato.

(...)

O diálogo gravado durou cerca de 30 minutos. Aécio e Joesley se encontraram no dia 24 de março no Hotel Unique, em São Paulo. Quando Aécio citou o nome de Alberto Toron, como o criminalista que o defenderia, não pegou o dono da JBS de surpresa. A menção ao advogado já havia sido feita pela irmã e braço-direito do senador, Andréa Neves. Foi ela a responsável pela primeira abordagem ao empresário, por telefone e via WhatsApp (as trocas de mensagens estão com os procuradores). As investigações, contudo, mostrariam para a PGR que esse não era o verdadeiro objetivo de Aécio.

O estranho pedido de ajuda foi aceito. O empresário quis saber, então, quem seria o responsável por pegar as malas. Deu-se, então, o seguinte diálogo, chocante pela desfaçatez com que Aécio trata o tema:

— Se for você a pegar em mãos, vou eu mesmo entregar. Mas, se você mandar alguém de sua confiança, mando alguém da minha confiança — propôs Joesley.

— Tem que ser um que a gente mata ele antes de fazer delação. Vai ser o Fred com um cara seu. Vamos combinar o Fred com um cara seu porque ele sai de lá e vai no cara. E você vai me dar uma ajuda do caralho — respondeu Aécio.

O presidente do PSDB indicou um primo, Frederico Pacheco de Medeiros, para receber o dinheiro. Fred, como é conhecido, foi diretor da Cemig, nomeado por Aécio, e um dos coordenadores de sua campanha a presidente em 2014. Tocava a área de logística.

Quem levou o dinheiro a Fred foi o diretor de Relações Institucionais da JBS, Ricardo Saud, um dos sete delatores. Foram quatro entregas de R$ 500 mil cada uma. A PF filmou uma delas.

No material que chegou às mãos de Fachin na semana passada, a PGR diz ter elementos para afirmar que o dinheiro não foi repassado a advogado algum. As filmagens da PF mostram que, após receber o dinheiro, Fred repassou, ainda em São Paulo, as malas para Mendherson Souza Lima, secretário parlamentar do senador Zeze Perrella (PMDB-MG).

Mendherson levou de carro a propina para Belo Horizonte. Fez três viagens — sempre seguido pela PF. As investigações revelaram que o dinheiro não era para advogado algum. O assessor negociou para que os recursos fosse parar na Tapera Participações Empreendimentos Agropecuários, de Gustavo Perrella, filho de Zeze Perrella.

Não há, portanto, nenhuma indicação de que o dinheiro tenha ido para Toron.

PS:Se o anonimo 19:21 não elegeu a chapa Dilma/Temer então votou na chapa pura do PSDB aécio/aluisio? Aquele que diz que "manda matar delator"? Quer que desenhe?