Elevado superavit do comércio exterior garante ganhos nas transações correntes de maio

O saldo em transações correntes foi superavitário em US$ 2,9 bilhões em maio, segundo divulgado ontem pelo Banco Central, indicando a continuidade do ajuste das contas externas. Mais uma vez, isto aconteceu devido ao forte superávit da balança comercial (US$ 7,4 bilhões), impulsionado pelo avanço das exportações. 

O déficit em serviços, de US$ 2,5 bilhões, ficou em patamar semelhante ao registrado em maio de 2016. Na conta financeira, os Investimentos Diretos no País (IDP) mostraram entrada líquida de US$ 2,9 bilhões, montante inferior ao recebido nos últimos meses, acumulando saldo positivo de US$ 81,5 bilhões nos últimos doze meses. Além disso, houve entrada líquida de US$ 802 milhões em ações, ao passo que a rubrica de renda fixa no país apresentou saídas liquidas de US$ 3,2 bilhões. 

A balança comercial seguirá contribuindo positivamente com o saldo em transações correntes. Ainda que as importações se recuperem, as exportações têm se mostrado bastante fortes, o que deve compensar tal efeito. Assim, o déficit externo em 2017 deverá ficar em torno de 0,8% do PIB, sendo facilmente financiado pelos ingressos de Investimento Direto no País

Nenhum comentário: