Artigo, Estadão - Lula força eleição para escapar da cadeia

A bem da verdade, nem Lula está pensando em 2018. Seu único objetivo no momento é evitar a cadeia.

Para os propósitos de Lula, pouco importa se as pesquisas de intenção de voto que o colocam na frente dizem respeito a uma eleição que ainda está muito distante e apenas refletem a disposição de um eleitorado que ele sempre teve. O que interessa é ter à mão elementos que o ajudem a construir o discurso de perseguido político.

(...) 

Também interessa aos petistas reforçar a tese de que seus adversários são contrários a uma eventual antecipação das eleições presidenciais porque eles temem que Lula vença – e, mais uma vez, as pesquisas servem como ilustração dessa tese. Trata-se de uma grossa impostura. Deve-se impedir a antecipação das eleições presidenciais diretas não porque Lula possa ser favorito para vencê-las, mas apenas porque a medida contrariaria a Constituição.

(...)

Antes de mais nada, Lula aparece com 45% de rejeição – e não há notícia de que um candidato que sofra tamanha ojeriza consiga se eleger. Para piorar sua situação, a maior rejeição está no Sudeste, que concentra a maioria do eleitorado. Ali, nada menos que 55% dos eleitores disseram que não pretendem votar em Lula de jeito nenhum.

CLIQUE AQUI para ler toda a análise. 

6 comentários:

Anônimo disse...

depois do episodio do Vaccari de ontem, o cara esta com medo sem ter razão...

aquele episodio de ontem foi muito estranho...

pareceu uma especie de preparação para desestimular Moro a condenar esse cidadão para o qual nao tenho mais palavras para classifica-lo...

Anônimo disse...

O pessoal fala em renúncia do Temer.
O Jânio renunciou e isto provocou uma catástrofe no Brasil, que teve espaço para os militares entrarem e dos grupos de terroristas fazerem o maior estrago.
Querem repetir a história???A história se repete em farsa ou comédia.

Anônimo disse...

O editor parte do pressuposto que lula é culpado, que vai ser condenado pelo juiz moro e que o TRF4 vai confirmar a condenação?

Esse argumento serve para o traira e aécio? Estes sim, com provas robustas contra si.

Tem emissário de lula sendo filmando pela PF pegando mala de dinheiro?

Tem audio de lula pedindo dinheiro para empresário?

Tem delator conversando com lula gravando a conversa?

Como fica um juiz que "absolve por falta de provas" a mulher de cunha, mesmo tendo nos autos do processo a conta e extratos bancários da suiça de 2 milhões numa eventual condenação de lula, que não tem milhões em contas no Brasil, quanto mais na suiça?

Anônimo disse...

Artur Nogueira diz:
Daqui a pouco tem petistas ressentidos aqui comentando, fazendo jogo sujo(redudância) e o editor poderia nos poupar desses esquerdistas, deletando essa sujeira que toma um espaço importante no seu blog. Ficam publicando "fake news" toda hora com colagem de comentários da esgostofera.: cafezinho, tijolaço, viomundo, carta capital, BR247, Nassif e por aí vai.
Gosto de ler sempre seu blog, mas tá difícil aguentar esses recalcados.

Anônimo disse...

Algo acontece no reino da Lava Jato:

Algo acontece no reino da Lava Jato - Luis Felipe Miguel

28/06/2017

O fato político mais importante de ontem não foi o discurso com as bravatas de Michel Temer, que simplesmente seguiu o script. Foi a decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, revertendo o veredito de Sergio Moro e absolvendo João Vaccari.



Quatro elementos tornam a decisão memorável. Primeiro, Vaccari não é personagem secundária da história. Se a Lava Jato tem apenas um alvo prioritário, que é o ex-presidente Lula, Vaccari certamente vem logo depois, no segundo batalhão. Trata-se de um revés importante para Moro, ainda mais porque (e este é o segundo elemento) a condenação anulada é a mais pesada das cinco que o juiz do PSDB paranaense aplicou a Vaccari.

A anulação parece também sinalizar uma mudança no comportamento do TRF-4 em relação a Sergio Moro. Não custa lembrar que foi este Tribunal que, no dia 22 de setembro do ano passado, consagrou o estado de exceção no Brasil, ao determinar que o juiz de primeira instância de Curitiba estava desobrigado de cumprir a lei, tornando facultativo, para ele, o respeito às regras processuais vigentes.

Por fim, o mais importante de tudo: os juízes do TRF-4 entenderam que a condenação não se sustentava porque era baseada exclusivamente nas denúncias acertadas nas delações premiadas. Estabeleceram, em suma, a ideia revolucionária de que são necessárias provas incriminatórias. É fácil imaginar o impacto que esse julgamento, caso se consolide como padrão no tribunal revisor, terá sobre outras decisões de Moro.

Pode ser que, em função de novas pressões, o TRF-4 recue no futuro breve. Afinal, a política da Lava Jato é intrincada. Mas que há algo acontecendo, isto há.

Anônimo disse...

Lula fica pagando pesquisa eleitoral fajuta aos manjados "especialistas" na matéria, porque o TSE já está anunciando que, em 2018, a URNA ELETRÔNICA "AINDA" NÃO TERÁ O VOTO IMPRESSO TÃO ESPERADO ... Gilmar Mendes já vem "providenciando" a URNA sem VOTO IMPRESSO há vários meses. Tudo para facilitar a eleição do Lula pela SMARTMATIC (Bolivariana), como aconteceu na REELEIÇÃO da Dilma, em 2014. Como se vê, o TSE está devidamente APARELHADO para eleger o Lula ... E nós, os ELEITORES, seremos, mais uma vez, apenas os PALHAÇOS no PICADEIRO desse CIRCO montado pelos ministros do TSE.