Outro taxista é assassinado em Porto Alegre

Na Assembléia, apesar das chacinas diárias de que são vítimas cidadãos da Capital, a CPI proposta pela OAB não avança, boicotada por deputados do PMDB e do PT.

O taxista de Porto Alegre, Pablo Josemar Thomas Andrade, 39 anos, foi abatido a tiros na rua Padre Mascarenhas, no Morro da Cruz, na zona leste de Porto Alegre. 

Ele aguardava uma passageira dentro de um Classic quando ocupantes de um veículo branco passaram atirando.

Ele foi morto com três disparos.


Pablo Andrade foi socorrido ao Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre, mas acabou morrendo em atendimento.

Conforme a polícia, a vítima possuía antecedentes criminais, era suspeito de um assassinato em 2015 e tinha ligação com um traficante de drogas. Até o momento, ninguém foi preso.

No dia 8 de novembro, outro taxista, Jeferson Luiz Braga da Rosa, de 33 anos, foi encontrado morto dentro do táxi no qual trabalhava. O corpo e o veículo estavam Avenida Plínio Kroeff, no Porto Seco, no bairro Sarandi, na capital.

12 comentários:

Anônimo disse...

Pelo AMOR DE DEUS. Políbio, acorda meu caro, me diga UMA CPI que não acabou em M*RDA NENHUMA? Por favor. Isso não resolve PORCARIA nenhuma.

Unknown disse...

OAB... aqui se faz, aqui se paga!!!

Unknown disse...

Novidade???!!!...

Anônimo disse...

Esse era bandido e encontrou seu fim. Não vale na estatística

Anônimo disse...

CANETA DESESQUERDIZADORA: A VÍTIMA ERA UM BANDIDO TRAFICANTE FANTASIADO DE "TAXISTA" E NÃO O CONTRÁRIO.

85% DAS MORTES EM POA SÃO LIGADAS AO TRÁFICO! O RESTO SÃO SUAS PRESAS EVENTUAIS.

Anônimo disse...

É verdade isso? Um elemento com esses antecedentes trabalhava como taxista na cidade comandada pelo trio fortunati/melo/capelari? Muita sorte nenhum passageiro inocente ter sido alvejado também!

Anônimo disse...

Políbio, já tá ficando igual à RBS?

Mais um pobre taxista assassinado covardemente... mas possuía passagens pela polícia por homicídios e por tráfico, ou seja, nem era tão coitado e inocente assim.

Mais da metade dos assassinatos no estado são de pessoas em débito com a justiça.

Daniel disse...

Pela capivara dele a profissão menos latente era Taxista.

Entao sr. Editor, deveria iniciar a manchete dizendo: Traficante que se passava por taxista é assassinado por rivais quando fazia entregas de drogas.

Anônimo disse...

Não estou defendendo o Governo, mas acho que desta vez não dá pra culpar o comedor de polenta, pois a vítima tinha vários antecedes criminais e o fato ocorreu em uma zona onde impera o poder paralelo do tráfico,u seja, parece ter sido acerto de contas e/ou queima de arquivo.Só acho, não posso afirmar.

Anônimo disse...

Menos um traficante.

Anônimo disse...

Exatamente. Vamos fazer de conta, também, que nenhum dos que trabalham nas modernas plataformas digitais é criminoso.
Cruzamos com esses indivíduos todos os dias. Não deixam a BM trabalhar e isso facilita a vida dos meliantes.

Anônimo disse...


O cara era tão taxista que a categoria nem se mobilizou em protesto.
Aliás alguns colegas até se articularam, mas quando souberam quem era desistiram.