Ecovix manda casco da P-67 para ser completado na China

Foi despachado para a China, ontem, o casco da plataforma P-67, construído em Rio Grande. Ele foi montado pela Ecovix, cujos controladores estão todos sob investigação da Lava Jato.

Este foi o segundo de oito cascos encomendados pela Petrobrás ao custo de R$ 3,5 bilhões.

Na China, todos são completados para virarem plataformas de extração de petróleo.

2 comentários:

Anônimo disse...

passaram um scaner para verificação geral antes de enviar pra china ?

Anônimo disse...

DE UMA NOTÍCIA DE 07.10.2010
INAUGURAÇÃO DA PLATAFORMA P-57 DA PETROBRÁS
DO DISCURSO DE LULA:
1. DIRIGINDO-SE AOS PRESENTES, PARTE:
Quero cumprimentar o nosso companheiro José Sergio Gabrielli, presidente da Petrobras,
Quero cumprimentar o companheiro Júlio Bueno, secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Energia e Indústria [Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços. Eu não vi o Júlio Bueno por aqui. Ah, está aqui do lado.
Quero cumprimentar o companheiro Paulo Roberto Costa, diretor da Área de Abastecimento da Petrobras,
Quero cumprimentar o companheiro Guilherme Estrella, diretor da Área de Exploração e Produção da Petrobras,
Quero cumprimentar a nossa querida companheira Maria das Graças Foster, diretora da Área de Energia da Petrobras,
Quero cumprimentar o companheiro Renato de Souza Duque, diretor da Área de Serviços da Petrobras. Não sabia que eras Renato, sabia só que era Duque,
Quero cumprimentar o companheiro Sérgio Machado, que já me convidou para, no próximo dia 19 de novembro, voltar ao Rio de Janeiro para inaugurar um navio lá no Estaleiro Mauá, um navio de 50 mil toneladas.
DESTACO COM LINK PARA A LAVA-JATO:
Quero cumprimentar o nosso companheiro José Sergio Gabrielli, presidente da Petrobras,
Quero cumprimentar o companheiro Paulo Roberto Costa, diretor da Área de Abastecimento da Petrobras,
Quero cumprimentar a nossa querida companheira Maria das Graças Foster, diretora da Área de Energia da Petrobras,
Quero cumprimentar o companheiro Renato de Souza Duque, diretor da Área de Serviços da Petrobras. Não sabia que eras Renato, sabia só que era Duque,
Quero cumprimentar o companheiro Sérgio Machado, que já me convidou para, no próximo dia 19 de novembro, voltar ao Rio de Janeiro para inaugurar um navio lá no Estaleiro Mauá, um navio de 50 mil toneladas.
2. PARTE DO DISCURSO:
Mas eu passava por aqui para ir... Onde é que tem uma marina aqui? Um lugar... eu passava por aqui, era um lugar que eu tinha que passar. Esses trilhos que a gente vê agora, esses guindastes, era cheio de grama embaixo, mato. Não tinha mais cheiro de trabalhador, não tinha mais um sinal da bota de um peão, de uma companheira, não tinha. Era abandono, era descrédito, era o Brasil que acreditava que tudo tinha que vir de fora, porque fora produzia mais, melhor, mais barato, e que nós tínhamos que ser tratados como cidadãos de segunda classe. O que nós fizemos foi apenas dizer ao mundo: Nós não somos melhores do que ninguém. Nós queremos apenas ter o mesmo direito, a mesma oportunidade, para a gente provar que o metalúrgico brasileiro é tão competente quanto o metalúrgico de Cingapura, do Japão, da Coreia, da Noruega, dos Estados Unidos e de qualquer lugar do mundo.