Badesul poderá ficar sem os R$ 44 milhões que emprestou sem garantias reais para a Iesa.

Os credores do grupo Inepar, proprietário entre outas empresas também da Iesa, que fechou as portas em Charqueadas, RS, aprovaram ontem o Plano de Recuperação Judicial. Foi em São Paulo.

O ploano interessa muito ao Badesul, segundo maior credor, que tem a receber R$ 44 milhões.

É possível que o banco estatal estadual jamais veja a cor do dinheiro, porque o plano prevê a conversão das dívidas em ações e debênjtures.

O Badesul foi levado a fazer o volumoso financiamento de modo apressado, praticamente sem garantias reais, tudo para atender o desejo do governador Tarso Genro de anunciar a criação do falido Pólo Naval do Jacuí.


4 comentários:

Anônimo disse...

E A CAIXA ECONOMICA FEDERAL PREVEMENTE SERÁ CHINESA. TAMO FERRADOVSKY.

Anônimo disse...

Prezado Polibio, boa tarde

Venho encarecidamente pedir que o senhor não faça comentários "apressados" a cerca do plano de Recuperação da INEPAR no que tange ao BADESUL. Outrossim peço que o senhor leia atentamente o plano que sofreu algumas relevantes alterações desde a sua publicação até a aprovação de ontem (13.05.2015). Ainda nessa linha verifique seus "informantes" que estão tão desatualizados quanto o senhor.

Anônimo disse...

A informação não procede, visto que o Badesul é credor cujo crédito consiste integralmente em garantia real (hipoteca), sendo que a “conversão” que referiste se refere apenas aos credores comuns, sem privilégio legal, ditos no jargão jurídico como “quirografários”.
Para confirmares isso, podes consultar quaisquer dos diversos representantes dos credores do Grupo INEPAR, uma vez que se trata de um dos maiores processos de recuperação judicial da história do País, sob intensos holofotes da mídia.
Sugiro ao blogueiro, assim, a correção da informação publicada, até mesmo para bem informar a sociedade gaúcha.

Anônimo disse...

Guarde essas observações que no final Polibio vai ter muita razão, ele está à frente, isto é, no futuro!