Polícia levará investigações contra prefeitura de Ary Vanazzi, PT, ao Tribunal de Justiça

Recrudesceu a chamada Operação Cosa Nostra, desfechada pela Polícia Civil e MPE do RS para investigar malfeitorias na prefeitura de São Leopold, RS.

. O caso ganhou nova força depois que os dois acusadores dos casos de corrupção na prefeitura, Marco Pinheiro e Carlos Arpini, denunciaram a lentidão da Polícia, do MPE e da Justiça de São Leopoldo, diretamente ao Conselho Nacional de Justiça. Mauro Pinheiro é ex-secretário do prefeito Vanazzi e Arpini foi até há pouco diretor Clínico do Hospital Centenário, que é público e municipal. Os dois já foram ameaçados de morte e Arpini chegou a ser esfaqueado.

. A Delegacia de Polícia Fazendária prometeu encaminhar expedientes sobre investigados com foro privilegiado:
4ª. Câmara Criminal – Prefeito Ary Vanazzi e deputada Ana Affonso.
STJ – Deputado Alexandre Rosso.

. As denúncias envolvem oito dezenas de empresas e empreendedores, além de agentes públicos, que são acusados de formar uma organização criminosa para fraudar licitações, realizar obras frias e vencer eleições para o PT.

CLIQUE AQUI para ler o compacto de 200 páginas com o inteiro teor das acusações feitas contra o prefeito Ary Vanazzi e a deputada Ana Afonso. O caso é abafado na Câmara de Vereadores de São Leopoldo e na Assembleia.

Na foto - Ary Vanazzi, Ana Affonso e Alexandre Rosso.

3 comentários:

Anônimo disse...

Políbio, porque tu não leva o caso à Revista Veja ??? Tenho certeza absoluta de que eles terão muito interesse na divulgação de mais essa vergonhosa operação de abafa, aqui no RS !

Anônimo disse...

sinto que os colegas estão engajados em cima de falsas denuncias!!! acreditando em pessoas que somente aparecem de 4 em 4 anos !!!! sim São Leopoldo está entre as maiores potencias do estado e do pais com uma renda superior a canoas e Novo Hamburgo!!! quem ama São Leopoldo vota PT !!! Quem é leopoldense é Paulo Borba

Anônimo disse...

No meio disso tudo e nas mãos de Vanazzi e Roso Está o Hospital Centenário. Agora o Sindicato dos médicos vai denunciar a administração por perseguição e coação ao corpo médico, e o Conselho por mais uma vítima que perdeu a vida no meio desse caos e descaso. Já era para o Hospital há muito tempo ter sido temporariamente interditado administrativamente até que todos os problemas estruturais, administrativos, de pessoal e financeiro fossem sanados. Mas o Ministério Público não se meche, não intervem e não nomeia um interventor. Até o MP se sente acuado e ameaçado. São Leopoldo virou terra de ninguém! O Cremers invez de pedir a intervenção judicial administrativa, pede a interdição médica o que é um equivoco já que o Hospital é o único do Municipio e não pode parar o atendimento para a população. Só assim afastando definitivamente a Presidencia, os Vice-presidentes e demais Diretores e encarregados em comissão do hospital, tirando literalmente e temporariamente o poder que a Prefeitura Municipal exerce no Hospital, só assim as melhorias acontecerão. Do contrário os problemas continuaram, e quem vai continuar pagando a conta são a saúde da população, os usuários e pacientes que precisam e dependem do atendimento do Hospital Centenário. Quantos mais terão que morrer até que alguém se mecha e coloque ordem no Hospital?