Saiba o que viu o editor neste seu breve vôo de pássaro sobre o Grupo Hospitalar Conceição

O Grupo Hospitalar Conceição está há duas semanas sob nova direção, nomeada pelo governo Michel Temer. Ao lado, o Hospital Conceição.

O editor fez esta manhã uma visita guiada de uma hora e meia às instalações do Grupo Hospitalar Conceição, 9.500 funcionários, orçamento anual de R$ 1,2 bilhão, comandado até duas semanas atrás por dirigentes do PCdoB e do PT. Os dois Partidos dominaram a gestão do maior grupo hospitalar gaúcho durante 14 anos, período durante o qual dobraram o número de empregados, sem no entanto melhorar num só ponto a produtividade. Além disto, deixaram como herança 14 mil ações trabalhistas, cujo valor total chega a R$ 2,2 bilhões, quase o dobro do orçamento anual.

Os serviços médicos, de enfermagem e farmacêuticos do GHC são muito superiores a tudo que é transmitido nas imagens de TV, muito embora estas se concentrem nas emergências, quando estão superlotadas.

O GHC atende pacientes de todo o RS (45% da lotação) e de Porto Alegre.

A nova UTI visitada do Hospital Conceição (Fêmina, Criança, UPA Moacir Scliar e Cristo Redentor também possuem UTIs) longamente pelo editor (59 leitos) é extraordinariamente moderna e bem atendida. Não existe nada mais moderno no Estado, nem mesmo em hospitais privados.

6 comentários:

Anônimo disse...

Tem um certo político, advogado trabalhista, que muito ganhou em ações do GHC.
Verdadeira indústria !

Anônimo disse...

Anônimo das 11:12, o referido estaria, hoje, bronzeando-se em prais cariocas?

Mordaz disse...

Então não dá para dizer que não tenha melhorado a produtividade... Quantos as ações trabalhistas a nossa legislação é bomba relógio que destrói qualquer empreendimento com esta ação deletéria. É uma legislação seca pimenteira.

Anônimo disse...

Raul Castro convoca profissionais do Mais Médicos de volta a Cuba:

Segundo a jornalista Cynara Menezes, a Socialista Morena, comunidado do governo de Raul Castro convoca 1672 médicos cubanos que atuam no programa Mais Médicos para que retornem à ilha; na nota, Havana explica que as mudanças se devem a “razões políticas”; os cubanos deixariam o país imediatamente após o término do contrato, em agosto, mas a saída foi prorrogada para novembro para que a população assistida pelos cubanos não fique sem médicos durante as Olimpíadas ou no período eleitoral....

BOM, para os fachistas e a elite não vai fazer falta, só para o pobres e, para eles, os pobres que se esplodam, moram de fome e na rua.

Anônimo disse...

Fizeram a mesma coisa com à CEEE, mas é muita coincidência!

Façanha, o advogado do povo disse...

Os socialistas latino americanos me deixam pasmo, porque corrompem o ideário marxista, constroem uma trapizonga social; começam anarquistas e terminam na ditadura populista do encher os bolsos. Seja Cuba, seja Argentina peronista, seja Brasil petista. Basta comparar com a antiga URSS, com a Coreia do Norte e China Continental. Aos latino americanos falta caráter, falta idoneidade.