Um dia antes de sair, Maranhão tentou melar CPI da Funai/Incra

Brasília, via WhatsApp

Um dia antes de abandonar a interinidade da presidência da Câmara, o deputado Waldir Maranhão assinou documento para barrar o funcionamento da CPI da FUNAI/ICNRA, que ele mesmo havia autorizado prorrogado. Após assumir a cadeira, o novo presidente Rodrigo Maia refez o ato do antecessor e garantiu a continuidade das investigações. A CPI está debruçada na quebra de sigilo de ONGs e associações. Mais de 100 indiciamentos já estão previstos pela comissão, que apura fraudes, muitas delas milionárias, no repasse de recursos federais e no processo de demarcações indígenas, quilombolas e assentamentos. Recentemente o TCU apontou mais de 500 mil indícios de irregularidades apenas no programa agrário do país.

6 comentários:

Anônimo disse...

Caro Políbio
Que esculhambação.Aonde se investiga acha. Credo!
Esther

Anônimo disse...

Apesar de não confiar em CPIs, é simbólico continuar a investigação.
Bom mesmo seria se a PF e o MPF investigassem...

Anônimo disse...

Confio no Dep. Alceu Moreira para dar lisura à CPI.

Anônimo disse...

Se cavoucar nessa CPI da Funai vai sair muitas minhocas.

Anônimo disse...

FUNAI??????????? E AINDA EXISTE ÍNDIO????????

Anônimo disse...

E um dia depois da eleição, o Maia, do DEMOs, melou a CPI do CARF, cujos personagens principais são grandes empresas de comunicação e do aço. Ou é mentira?