Brics chegam a impasse sobre banco de desenvolvimento


Os cinco papíses que formam os Brics, Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, não conseguiram resolver as diferenças envolvendo o financiamento e a localização de um banco de desenvolvimento comum entre os países do grupo, indicando que as potências emergentes não conseguirão atingir a meta na cúpula atual de Durban.

. O acerto sobre a parte que cada um contribuirá para o financiamento do banco já havia sido um assunto espinhoso para um grupo que reúne economias e governos muito díspares. O objetivo de criar um banco próprio de desenvolvimento é reduzir a dependência dos países de instituições financeiras ocidentais.

. Os países dos Brics representam juntos um quinto da produção econômica global, mas têm tido dificuldades para transformar seu peso econômico em posição política no cenário internacional.

. As duas maiores economias do grupo, China e Brasil, fecharam um acordo nesta terça-feira de troca de moedas locais (reais e iuanes), com operações de até R$ 60 bilhões (cerca de US$ 30 bilhões) e duração de até 3 anos.

2 comentários:

Justiniano disse...

Reunião de gentalha dá nisso muito discussão e pouca ação, os americanos e europeus devem estar dando gargalhadas dessa reunião dos tupiniquins. Dilma a rainha do barraco devem estar em casa com essa turma.

Anônimo disse...

daqui a pouco o presimente de fato chega lá e resolve o impasse: propõe uma conta conjunta entre o fundo e o 'fundadores' e pronto, saem todos felizes..