Otelio Drebes lança 2º edição do Prêmio Fala, Professor!

Otelio Drebes, fundador das Lojas Lebes, lança a 2a edição do Prêmio Fala, Professor! que beneficiará projetos realizados em escolas municipais do RS. A proposta do empresário é estimular profissionais de educação para ajudar na cidadania dos alunos.

O lançamento será no Teatro da Unisinos, em Porto Alegre, dia 23/04, às 18h30. Em 2018, foram mais de 400 projetos inscritos.

As inscrições serão abertas na noite de lançamento do prêmio, 23/04, e podem ser feitas até 30/09/2019, pelo site: www.oteliodrebes.com.br/premiofalaprofessor.

3 comentários:

Anônimo disse...

Para estimular a professorinha, seria um salário digno da profissão que exerce. NÃO É possível que uma professora fique feliz com mil e poucos reais,por mês. Que para dar conta trabalha no contra turno como sacoleira, vendedora da avon, faxineira, quando chega na escola já está esgualepada, e ainda querem uma EDUCAÇÃO DE QUALIDADE????????!!!!!!!!

Anônimo disse...

Tenho muito receio do "... ajudar na cidadania ..." O que é isso? Incentivar a tal "política de gênero", fazer garatujas indecentes e expor nos museus ? Que tal incentivar o estudo da matemática? Concursos de língua portuguesa? Conteúdo, minha gente!

Anônimo disse...

Parabéns pela iniciativa.assistindo a uma partida de vôlei na TV lembrei que as escolas têm,quase sempre,quadras poli esportivas e me dei conta que ou temos professores de educação física muito incompetentes ou sem nenhuma vontade de motivar a gurizada para o esporte.
Estudei em escola pública onde aprendi a jogar vôlei. E antes disso numa escola particular,vôlei e basquete.
E não falo em outros esporte como atletismo,natação ou tênis que já requerem estruturas mais caras.
A Argentina tem 8 tenistas entre os 100 melhores do mundo. Chile e Uruguai tem 1 cada 1 e nos ZERO.
O Chile tem 2 prêmios Nobel de literatura,Peru e Colômbia 1 cada e nos ZERO. Num país continental com uma população N vezes maior que qualquer um dos nossos vizinhos não conseguimos destaque em nada.
O que produziu de frutos a pátria educadora da Dilma? NADA.