Veja confunde Escola sem Partido com Escola sem Política

A reportagem de capa da revista Veja trata do movimento Escola sem Partido.

Diz a reportagem que os atuais projetos em exame, caso sejam aprovados e aplicados, poderão piorar a qualidade do ensino no Brasil.

É uma patacoada de Veja.

O Movimento Escola sem Partido quer, na verdade, evitar a doutrinação ideológica esquerdopata que ocorre em escolas municipais, colégios de ensino médio e universidades, tudo pelas mãos de professores lulopetistas e direções amestradas ou coniventes.

Escola sem Partido não quer dizer eliminação das discussões políticas dentro das salas de aula, mas no contexto de matérias que tenham a ver com a questão.

Até mesmo professores de matemática introduzem discussões políticas durante suas aulas, como constatou o editor num caso em que litiga judicialmente e ligado ao colégio Maristas Ipanema.

Sempre os maristas.

15 comentários:

Mordaz disse...

Mais uma patacoada de Veja. Eu estudei em colégio de irmãos maristas e eles ensinavam que espíritas eram doentes mentais. Nem política e nem religião é bom para escolas.

Anônimo disse...

Vai falir de vez, veja amanhã no jornal hoje.

Anônimo disse...

No dia que essa revista petista, filial da Carta Capital, fechar de vez eu abrirei um espumante para comemorar.

Emmanuel Carlos disse...

Veja virou lixo, e não de agora ...

Anônimo disse...

Com petista no comando, esperar o quê ?

Anônimo disse...

Veja está concorrendo com a Carta Capital, esquerdalhou e se deu mal com Bolsonaro!

Anônimo disse...

muitos alunos passam mais tempo com professores do que com os próprios pais...

essa gente tem um poder imensurável sobre os jovens e as crianças, principalmente pela condição de desfrutarem de uma posição vantajosa em relação aos pais, que precisam fazer cobranças e muitas vezes são vistos como rígidos ou malvados mesmo...

enquanto o teacher, aquele sujeito bonachão, de fala mansa e cativante, que quase sempre fala tudo o que o jovem nessa idade quer ouvir e geralmente não faz cobranças pessoais, passa pelo papel de melhor amigo do aluno...

quem nunca teve a figura do professor camarada?

por isso vários pimpolhos(as) defendem seus teachers diante da cobrança dos pais...

Anônimo disse...

Queremos escola sem DOUTRINAÇÃO política mas com o ensino das diversas vertentes políticas, sem IMPOSIÇÃO, sem forçar ADESÃO. Deixem qua cada pessoa faça suas escolhas quando mais maduros, mais adultos. Não queremos FACÇÕES politicas dentro das escolas.

Anônimo disse...

Cancelem a assinatura, simples !

Anônimo disse...

A Veja está mais por fora que água de pedra.

Carlos Flávio disse...

Não é surpresa que desde que o jornalista André Petry assumiu a chefia de edição da Revista, esta vem em constante conflito com a verdade e a decência.

Qual o real interesse do atual jornalismo praticado por uma empresa que vem a cada ano perdendo mais e mais leitores e com eles os anunciantes.

A defesa do obscurantismo foi preterido durante o período eleitoral. Acorda Veja, ou feche as portas, pois o o bom jornalismo que praticou no passado já morreu.

Anônimo disse...

A Educação no Brasil pior do que está não fica. Paulo Freire a faliu e é do conhecimento de todo corpo docente.

Anônimo disse...

na verdade é a direitalha q malandramente falsa quer doutrinar mas não sabe , porque o discursinho é elitista e de ódio...caiam fora nazifascistas vão tomar é uma tunda nas escolas...kkkk...ah me esqueci o idolo calhorda de voces olavo de caralho diz q o fascismo é de esquerda né? kkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

O editor deveria explicar por que deve haver discussão política em sala de aula no ensino fundamental ou médio, no meio de aulas de Português, Matemática, Física, Química ou mesmo História. É para dar a matéria para os alunos e fim de papo. Sem partidos ou discussões políticas. Política discute em casa, em qualquer outro lugar, menos na sala de aula. Não autorizo nenhum professor a falar de política com meu filho sem a minha presença, não estou pagando para isso, pago só para dar aulas das matérias do currículo, portanto é assédio e abuso.

Anônimo disse...

A política e importante seja tratada em certas áreas do conhecimento.mas a doutrinação ideológica e a distorção dos fatos históricos devem ser abolidos das escolas.