Psol e MBL ajuizam ações contra aumento de 16,38% para o STF

O Partido Novo está com abaixo assinado nas redes sociais, protestando contra o aumento e exigindo veto.

O PSol impetrou, nesta quinta-feira, um mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF) questionando o projeto de lei (PL) aprovado na quarta-feira pelo Senado que reajusta em 16,38% o salário dos ministros do próprio Supremo. O partido quer que o PL volte para nova votação na Câmara. Em outra frente, o advogado Rubens Nunes, ligado ao Movimento Brasil Livre (MBL), abriu uma ação popular na Justiça Federal de Campinas, também questionando o aumento.

É chover no molhado.

É o mesmo que botar a raposa para cuidar do galinheiro.

Um comentário:

Anônimo disse...

E o abaixo-assinado do Novo é chover onde nessa analogia?