Mais 92 mil refugiados venezuelanos estão chegando

Bolsonaro terá política restritiva em relação a imigrantes e refugiados, o que quer dizer que a previsão é furada.

As autoridades federais do ministério do Desenvolvimento Social acham que mais 92 mil refugiados venezuelanos chegarão ao Brasil na transição de 2018 e 2019.

Isto foi o que ficou claro na reunião promovida pelo MDS com 300 prefeitos, dias 9 e 10, em Brasília.

As passagens foram todas pagas pelo governo federal.

13 comentários:

Anônimo disse...

mandem tudo para Cuba !

Anônimo disse...

A debandada vai ser grande, sabem que em janeiro Bolsonaro vai endurecer, o tio Sam já mandou avisar a multidão, se pisar em solo americano, é cana.

Anônimo disse...

estamos tentando arrumar a casa, pelo amor de Deus!!!

o país não tem condições de receber essa quantidade de gente...

alias, nenhum país tem, porque são milhares de pessoas se deslocando ao mesmo tempo e chegando simplesmente sem nada...

qual é a maquina que esta por trás de todos esses movimentos imigratórios em massa?

isso não pode, jamais, ser algo espontâneo...

Anônimo disse...

Agora que foi implantado o paraiso do Socialismo do Século XXI na Venezuela a tendência e não ficar ninguém que queira se desenvolver na vida, só fica na Venezuela os incompetentes e preguiçosos que querem viver na corcunda do Estado.Se Cuba não fosse uma Ilha, difícil de sair, já teria ficado vazia a muito tempo.Hipocritas defendem um atraso desses, Maduro entregou o país dos venezuelanos aos cubanos.

Anônimo disse...

Agora que foi implantado o paraiso do Socialismo do Século XXI na Venezuela a tendência e não ficar ninguém que queira se desenvolver na vida, só fica na Venezuela os incompetentes e preguiçosos que querem viver na corcunda do Estado.Se Cuba não fosse uma Ilha, difícil de sair, já teria ficado vazia a muito tempo.Hipocritas defendem um atraso desses, Maduro entregou o país dos venezuelanos aos cubanos.

Anônimo disse...

Estamos pagando a conta da Venezuela duas vezes, o calote de Maduro, e os os venezuelanos que estão chegando. Impossível continuar no politicamente correto e sacrificar sempre aqueles que andam na lei.
Estas pessoas que estão chegando, foram para a rua contra Chaves e Maduro ou aproveitaram os "avanços sociais" desses ditadores e agora caíram na real?
#Prontofalei.

Anônimo disse...

Podem vir. Venham todos. O Brasil é um país rico, economia forte com empregos sobrando...o petista Maduro deixou a Venezuela um lixo. Destruiu o país. O mundo todo sabe que existiu o holocausto de Hitler e está existindo o holocausto do Maduro. Genocídio puro. A ONU não faz nada. Ninguém faz. Aí os caras tão pulando fora e vindo tudo pra cá. Aqui não tem emprego. Vão virar marginais. Vai inchar o que está estourando. Vai arrebentar. Tem que fechar as fronteiras.

João Fernando Cunha da Cunha disse...

ESSE É O RESULTADO DA IMPLANTAÇÃO CORRETA DO SOCIALISMO MARXISTA.
COMO O LULOPETISMO TOMOU NO RABO AQUI NO BRASIL, MADURO APOSTA NO QUANTO PIOR MELHOR.
FECHAMENTO DA FRONTEIRA, JÁ!
NÃO SOMOS CONTRA AJUDA HUMANITÁRIA!
MAS É IMPOSSÍVEL A QUALQUER NAÇÃO ORGANIZADA ABSORVER TAMANHA QUANTIDADE DE PESSOAS!
TEM DE TUDO:
GENTE SAUDÁVEL, GENTE COM GONORRÉIA, COM SÍFILIS, COM TUBERCULOSE, GENTE NA BICA PARA PARIR, GENTE COM BOAS INTENÇÕES, GENTE COM ANTECEDENTES CRIMINAIS, ETC. ETC. ETC.
NÃO TEM COMO FAZER UMA TRIAGEM CORRETA.
FECHAMENTO DA FRONTEIRA, JÁ, À LA TRUMP.!

Anônimo disse...

Demorando para fechar fronteiras. Se a desgraceira fosse aqui....alguem acha que os venezuelanos nos deixariam entrar na casa deles????

Anônimo disse...

O Instituto Lula não vai ajudar essa gente oriunda do país do amigão......

Anônimo disse...

Mais uma vez a história registra o fracasso do socialismo. Mais uma vez a miséria e o resultado do socialismo. Desastre e consequência desse sistema atrasado.

Ultra 8 disse...

Plano Kalergi

“O homem do futuro será um mestiço”

O Plano Kalergi é um plano genocida elaborado em 1923 pelo político mestiço Richard Nikolaus Coudenhove-Kalergi junto com seus sócios maçons, precursores da União Européia, para destruir a Europa e exterminar à raça branca, mediante a promoção do multiculturalismo e a imigração em massa de negros, asiáticos, mestiços latino-americanos, ameríndios e muçulmanos com a finalidade de mesclar-los racialmente, produzindo assim, segundo suas próprias expectativas, uma raça mestiça passiva, amansada, previsível e manipulável, de carácter e inteligência inferior sobre a qual pode-se governar eternamente a elite aristocrática judia, pois tal população resultaria incapaz e impedida de organizar-se para rebelar-se, e inclusive dar-se conta de que estão dominados.

Este plano, exposto em 28 teses, está inspirado no domínio humano sobre os animais de granja, os quais, devido a sua inferior inteligencia não podem rebelar-se.

O plano em ação

A invasão imigrante, de acordo aos novos padrões econômicos e a globalização, já se tem produzido e não existe intenção por parte dos governos de abandoná-la por muita crise que aconteça. E ao mesmo tempo se promove a mestiçagem para alcançar o exterminio da raça branca, em todos os países brancos do mundo. Não nos asiáticos, nem africanos, em aonde não há invasão imigrante, senão somente em países brancos.

A invasão se disfarça de progresso, caridade, humanismo, fraternidade, justiça social, igualdade, etc. Mas trata-se de um plano criminoso e impiedoso para destruir os europeus.

A essência do Plano

Em seus primeiros manifestos escritos entre 1923 e 1925, o Plano Kalergi exigia que os judeus tomassem o poder, primeiro na Europa e depois em todo o mundo. O plano se baseia em um racismo judeu utópico e se refere a uma «raça superior» (Herrenrasse) judia. A expressão Herrenrasse, utilizada por Adolf Hitler para descrever a raça ariana, foi usada também por Coudenhove-Kalergi para dar suporte à reivindicação da soberania judia na Europa e no mundo. Também o termo «raça nobre judia» é utilizado constantemente. Com a motivação de criar um império judeu, o plano Kalergi proclama a abolição do direito de autodeterminação dos povos e, posteriormente, a eliminação das nações por meio de migrações alógenas em massa, ou seja, seu despedaçamento interno através de movimentos separatistas “étnicos” como o separatismo catalão ou basco. Para que Europa seja dominável pelos judeus, pretende transformar os povos racialmente homogêneos em conjuntos mesclados de brancos, negros e asiáticos. A estes mestiços lhes atribui crueldade, infidelidade e outras características que, segundo ele devem ser criadas conscientemente porque são indispensáveis para conseguir a superioridadee dos judeus.

Anônimo disse...

Já não basta termos 26 milhoes de brasileiros desempregados, ainda vamos receber quase 100 mil estrangeiros? QUANDO teremos melhorias nos empregos nesse país? Parece mais um plano para sabotar o novo presidente.