ANP colocará em leilão seis áreas para exploração de petróleo na Bacia de Pelotas

O assunto foi tema de audiência entre o governador José Ivo Sartori; o secretário de Minas e Energia, Artur Lemos Júnior; e o diretor-geral da ANP, Décio Oddone.
A foto é de Karine Viana, Palácio Piratini.

Pelo menos seis blocos de áreas da Bacia de Pelotas, no litoral gaúcho, serão oferecidos a investidores na 14ª rodada de licitações da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) no dia 27 de setembro. Até hoje,  25 poços foram perfurados no Estado sem encontro de petróleo ou gás natural. No leilão de 2015 a Petrobras adquiriu quatro áreas na Bacia de Pelotas, mas não perfurou ainda nenhum poço devido a não liberação de licença ambiental.

O incentivo da Agência, já autorizado pelo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), para tornar a 14ª rodada atrativa aos investidores, é a redução no pagamento de royalties. Em vez da taxa de 10% o percentual foi reduzido para 5%. A Petrobras poderá participar deste novo leilão.

No leilão do dia 27, serão ofertados 287 blocos em 29 setores de 27 bacias sedimentares do Brasil: são 122,6 mil km² de área..

A ANP acha que será possível encontrar de petróleo no RS a partir de 2020. 

3 comentários:

Anônimo disse...

Desde o século passado ,que Pelotas é suspeito de ter petróleo.
No entanto,a Petrobrás (dos brasileiros lá de cima)insistiam de que seria antieconômica sua exploração.
RS é filho incesto do Brasil.

Anônimo disse...

maravilha empregos e desenvolvimento da cidade a vista chega de atraso

Anônimo disse...

Não exploraram quando o petróleo estava perto dos 100 dólares, agora perto dos 50 dólares, e longe de tudo, apoio, logística, pessoal, é muito difícil a exploração, só se for um grande poço.