Caiu Michel Costa, diretor da Procempa

O diretor-técnico da Procempa, Michel Costa, entregou sua carta de exoneração ao prefeito Marchezan Júnior. Ele deixa a prefeitura depois das revelações da RBS de que uma empresa da qual é sócio, a Safeconecta, realiza testes para a instalação de GPS nos ônibus da Carris. Michel Costa também presidia o Conselho de Administração da Carris. Depois da reportagem de Carlos Rollsing, do GDI, uma comissão da Procuradoria-Geral do Município abriu sindicância para avaliar se existia conflito de interesses em sua atuação no governo. 


Conforme a Contadoria e Auditoria-Geral do Estado (Cage), outra empresa de Michel Costa havia recebido do Daer, em 2016, R$ 422 mil de superfaturamento em um serviço terceirizado.

8 comentários:

Anônimo disse...

O Políbio precisa limitar o tamanho dos comentários pra evitar que alguns imbecis fiquem fazendo extensos "copicolas" de outros blogs e publicando aqui.

Anônimo disse...


Dizem os noticiários que na campanha o cidadão patrocinou o prefeito, passou com louvor na "banca de Talentos" e foi selecionado.

Falando em gasto com o dinheiro publico, Esta banca de talentos estaria descartada como processo de seleção em uma empresa privada seria. Somente indica nomes que não ficam no cargo por um problema ou outro. Não estamos jogando dinheiro do cidadão fora com esta banca? E a tal da eficiência tão pregada pelo prefeito? Banca de talentos é um fracasso na seleção.

Anônimo disse...

Que absurdo !
Espero que o prefeito se manifeste em relação a isso !! Ele que colocou esse diretor na Procempa.
E quem sofre e PAGA ?
POVO

Anônimo disse...

Tem q cair mais gente...

Anônimo disse...

Este senhor é sócio majoritário de uma empresa que presta serviço para a Prefeitura.
Naturalmente, pela Lei 1133/85, não poderia ter emprego na PMPA. Inclusive dois empregos, o outro seria no Conselho de Administração da Carris.
O articulista de ZH minimizou. Não é só conflito de interesses é tentativa de se beneficiar de cargo público tendo acesso a dados estratégicos para empresa particular. Nos EUA receberia o nome de espionagem. Aqui era consentido.

Anônimo disse...

Que bom que caiu. Inclusive afetou a imagem do Governo -O crime foi do próprio Costa em aceitar cargos sabendo que era impedido. Mas que bom que pode cair, que bom que se pode reconhecer a queda e dar a volta por cima. Pior são os que possuem estabilidade, esses a população tem que morre pagando e não recebe serviço de qualidade em troca

Aldir Seifried disse...

Esse tal de Michel é cobra crida, é da mesma turma do prefeito. É o tal banco de ta lentos.

Anônimo disse...


Anonimo de 10 de agosto de 2017 14:53, o crime é de superfaturamento com o Daer antes de estar impedido. A estabilidade não funciona para casos de corrupção, os servidores são exonerados, os políticos quase nunca, os empresários as vezes.. A sua comparação com a estabilidade e serviços de qualidade demonstram toda a sua cultura a respeito do assunto. O valor da corrupção envolvendo os setores da iniciativa privada chegam a R$ 69 bilhões de reais por ano.