Amigo de Lula e do PT é personagem central no calote de R$ 25 milhões aplicado pela Cotrimaio no Badesul

Os deputados do PMDB e do PT que boicotam a convocação da CPI do Badesul, ignoram propositalmente as denúncias de que o governo Tarso Genro manteve orientação política para que Badesul, BRDE e Banrisul socorressem empresas em dificuldade. Foi o caso da Cotrimaio, que precisava de linha de capital de giro disponibilizada pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para recuperar cooperativas. Na época da ajuda do Badesul, a Cotrimaio tinha como líder Antonio Wunsch, conhecido ativista do PT na região do Alto Uruguai, amigo de Lula e de Tarso Genro, para os quais fazia campanha aberta. Ele promoveu uma administração ruinosa, empreendendo até mesmo fortes campanhas pela produção de orgânicos, em franca oposição aos transgênicos.

O jornal Zero Hora foi atrás da história e levantou informações inéditas sobre o negócio que resultou no calote de R$ 25 milhões aplicado no Badesul.

Leia:

O empréstimo de R$ 10 milhões do Badesul para a Cooperativa Agro-pecuária Alto Uruguai (Cotrimaio), de Três de Maio, em 2012, é um dos casos em que pareceres da área técnica do banco foram contrariados por decisões de diretoria. 

CLIQUE AQUI para ler tudo.

11 comentários:

Anônimo disse...

Em 2086 quando nenhum de nós estiver por aqui, eles instauram a "Comissão da Verdade" do Badesul, CANALHAS.

Unknown disse...

Lulla não tem amigos... tem cúmplices e "cumpanhêro" da pelegagem!!!

Anônimo disse...

E nenhum diretor que aprovou estes empréstimos ruinosos vai para a cadeia???

Anônimo disse...

Anonimo das 15:02

Ate lá a população terá mais cultura, não vai colar mais essa palhaçada deles.
Assim espero.

Anônimo disse...

Assim como o PT esfá desaparecendo, vamos fazer o mesmo com o PMDB. É só não votar neste partido.

João Paulo da Fontoura disse...


A política "desenvolvimentista" de esquerda é, e sempre foi, ingênua: a esquerda, qual o rei Midas, acha que tudo que é tangido poe eles vira ouro. Se queremos ( e faremos do nosso jeito!) incrementar a produção de petróleo, vamos comprar equipamentos para tal, e para ontem. Também vamos privilegiar a indústria nacional, vamos compra os navios, as plataformas, as mangueiras, válvulas, tudo tudo no mercado interno. Alguém no fundo da sala, um baixinho, diz: "É, mas não temos indústria nacional nesta área". Então vamos montar, "peguem um pessoal da OAS, mais capital do BNDES, e vamos tocar". O baixinho replica, "mas presidente, não temos sequer inteligência nesta área. Primeiro teremos que montar cursos especiais na universidades, depois incentivar indústrias com espertize nestes segmentos, a juntar com empresas estrangeiro com Know-how, depois..." "Para, para: deixe de ser pessimista, se fosse assim nós, que nada sabemos, jamais teríamos o poder por aqui. Temos que ousar, temos que avançar, romper paradigmas". Amigos, a quebradeira recém iniciou. Só para termos uma base, nós brasileiros, da Embraer, levamos mais de 40 anos para desenvolver uma indústria de aviação competitiva, como conseguiremos, do dia pra noite, fabricar barcos-plataformas de 500 milhões de dólares que funcionem, que não sejam as enganações que os consórcios OAS + a empresa do filho do meio do Lulla + capital do BNDES estão a produzir? Cadeia para estes mequetrefes!

Anônimo disse...

Que quadrilha, a máfia comparada ao PT é um Jardim de Infância!

Anônimo disse...

Se fosse só o homem mais honesto do Brasil já seria muito, mas o problema são seus amigos: tudo ladrão dos grandes.

Norton Dornelles de Castro disse...

Tem que cassar todos safados

Anônimo disse...

CPI do Badesul e xadrez para o Tarso Genro.

Roberto disse...

Esse Badesul é mesmo uma "casa da mãe Joana"!