A doleira do Petrolão do PT anda de tornozeleira e Chanel

A foto é de Jefferson Coppola.

CLIQUE AQUI para ler a reportagem de Marcelo Auler, que é ainda melhor do que o material de Campbell. A reportagem de Auler é de hoje, dia 20. 

Nesta reportagem do jornaliosta Ulisses Campbell, a revista Veja desta semana conta que Nelma Kodama já entrou em cena causando. Em março de 2014, seu nome veio a público pela primeira vez quando foi presa ao tentar embarcar para a Itália com 200.000 euros escondidos na calcinha (ela nega, diz que as notas estavam no bolso da calça). Na ocasião, a doleira namorava um delegado da Polícia Civil de São Paulo, a quem acusa de ter feito a denúncia anônima que lhe rendeu o flagrante, um par de algemas e sua primeira estada na cadeia. No ano passado, já condenada pela Lava-Jato a quinze anos de prisão por lavagem de dinheiro, organização criminosa, evasão de divisas e corrupção ativa, ela depôs na CPI da Petrobras e deu uma mostra de sua expansividade ao cantarolar diante dos parlamentares a música Amada Amante, de Roberto Carlos, para definir a natureza do relacionamento que manteve com o também doleiro e réu da La­va-Jato Alberto Youssef. 

Leia a continuação desta reportagem, cujo texto acima e a seguir é todo de Campbell e de Veja:

Hoje, Nelma cumpre pena em prisão domiciliar em um apartamento de 500 metros quadrados em São Paulo avaliado em 6 milhões de reais, já confiscado pela Justiça. Com uma tornozeleira eletrônica presa na perna esquerda, passa o dia ouvindo música, lendo processos, trocando mensagens com advogados — ainda responde a quinze inquéritos — e aguardando a homologação de sua delação premiada (em 35 anexos, aos quais VEJA teve acesso, ela detalha crimes que envolvem operadores do câmbio negro paulista).

CLIQUE AQUI para ler mais. 

12 comentários:

Anônimo disse...

Mais uma figura que mostra que no Brasil o crime compensa, de uma forma ou de outra.

Anônimo disse...

Dos mais de 60 delatores beneficiados, uns 20 afirmaram que Lula era o Chefe do Petrolão, que sabia de todas as falcatruas, etc e tal!!! Se foram beneficiados é porque apresentaram PROVAS!! Se apresentaram provas, POR QUÊ LULA CONTINUA SOLTO E OFENDENDO TODOS OS DIAS OS MEMBROS DA LAVA JATO, INCLUSIVE O DR. MORO? O quê está acontecendo com o Judiciário? Estão com MEDO? Se estão com medo do CHEFE DA QUADRILHA, peçam pra sair e deixem a vaga para HOMENS ou MULHERES com CORAGEM!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Isso é um deboche.Na China por muito menos estaria dormindo com uma bala na nuca, mas aqui é o Brasil.

Anônimo disse...

Na hora do sexo dá para tirar a tornozeleira?

Anônimo disse...

Sabe que é questão de tempo para se livrar de tudo, todos com telhado de vidro

Anônimo disse...

os cornos da direita pelos comentários não gostam mesmo de mulhé...viados enrustidos...ehehehe

Anônimo disse...

Doleira da Lava Jato posa de modelo para Veja

20/07/2016

Por Marcelo Auler

Nelma Kodama, doleira da Lava Jato, BENEFICIADA POR MORO, posa de modelo para Veja

Pelas informações do jornal O Estado de S.Paulo de domingo (17/07), graças às delações premiadas, quinze dos condenados pela Operação Lava Jato já reduziram suas penas em 326 anos Isso corresponde a 28% dos 1.149 anos de prisão sentenciados pelo juiz Sérgio Moro.

Sorte maior, porém, teve a doleira Nelma Kodama. Com uma primeira condenação de 15 anos e investigada em mais 15 inquéritos ainda em andamento, mesmo sem ter delatado ninguém nas investigações da Lava Jato, teve a prisão domiciliar antecipada em três meses por Moro. Foi uma decisão atípica, em um despacho cujo teor está sendo mantido em segredo, como ele determinou:

“Por ora mantenho o sigilo sobre estes autos em relação a terceiros”.

Com isso, desde o final de junho ela está em casa, em São Paulo. Aproveitando-se da tornozeleira eletrônica de uso obrigatório, estreou como modelo em um ensaio fotográfico para a revista Veja.

No Instagram de Ulisses Campbell, a foto de Jefferson Coppola, depois de outra foto ter sido rejeitada no Facebook

É verdade que a foto que a revista publicou na edição desta semana (16 a 22 de julho) é até bem comportada entre outras da série clicada pelo fotógrafo Jefferson Coppola. Como admitiu no Instagram o jornalista Ulisses Campbell, autor da matéria na revista, houve fotos “mais ousadas”. Teriam sido, inclusive, rejeitadas pelo Face book.

Aguarda-se os próximos capítulos desta “novela” da doleira. Quem sabe ela não surgirá nas revistas masculinas apenas com a tornozeleira, única peça que não pode despir, sob o risco de voltar para detrás das grades?

Para antecipar o benefício da doleira, Moro, que já admitiu que a presa tem a “personalidade voltada para o crime”, substituiu a prisão preventiva que ele havia decretado em domiciliar. Com isso, descobre-se que Nelma, mesmo já estando condenada em segundo grau – o TRF-4 ao analisar seu recurso, reduziu-lhe a pena para uma condenação de 15 anos – continua presa preventivamente, e não pelo cumprimento da sentença.Agora, em prisão domiciliar.....

NADA COMO SER MULHER bonitinha para .....calata-te boca......

Anônimo disse...

A lava jato é isso muito barulho. Todo mundo é solto, vão viver vida mansa com 90% do dinheiro roubado e ainda debocham dos brasileiros.

Anônimo disse...

Anonimo 16:57 quem vai fazer sexo com esse tribufu? So se largarem ela com essa roupa no meio de um presidio masculino.

Anônimo disse...

Se essa aí está solta, certamente não é vinculada ao PT, porque se fosse estaria presa, nem que fosse em presidio masculino.

m.morais74@gmail.com disse...

O judiciário tem rabo preso. Quase todos envolvidos nas falcatruas, quase todos corruptos, por isso é muito difícil dar em alguma coisa. É bandido protegendo bandido.

Anônimo disse...

Será que o que falta no judiciário para botar o chefe da quadrilha preso é alguém de grelo duro?