Governador de Santa Catarina rejeita CPMF, mas apóia medidas de ajuste de Dilma

O governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo, mandou informar ao editor, ainda há pouco, que não apóia a proposta de recriação da CPMF, mas defenderá as medidas de ajuste do governo Dilma, sobretudo a reforma da previdência, que também afeta os Estados.

Eis o que ele disse:

Não sou a favor da CPMF e acho que o governo federal precisa fazer os ajustes que está fazendo. Vou ajudar na redução de custos e procurar debater fortemente na questão da previdência, que é uma decorrência da Constituição de 1988, que também atinge todos os estados, fragiliza as contas públicas – é um problema mais grave que nós temos e precisamos fazer alguma coisa.
Do ponto de vista pessoal tenho um compromisso com a sociedade catarinense de não apoiar o aumento de impostos, nem estadual e nem federal. Eu expliquei essa situação, mas nós precisamos ajudar. Sou brasileiro e quero que o Brasil vá bem e supere as dificuldades. Temos que enfrentar algumas coisas que são impopulares a  exemplo da previdência pública. Temos que corrigir e realmente reequilibrar.

4 comentários:

Anônimo disse...

Colombo, Colombo...

a paciência do catarinense que votou expressivamente contra o PT tem limite com um governador que vive flertando com esse governo do....PT!

vê se toma tenência, rapá...

nao se queime com seu eleitorado por causa da mandioca...

embora não precises mais te reeleger, podes vir a precisar desse povo novamente...

Anônimo disse...

Para quebrar o Brasil a cumpanherada foi extremamente competente na sua total incompetência. Agora que o país esta falido querem pedir ajuda??? Não concordo com esse governador. Não podemos e não vamos pagar essa conta. O PT que peça o dinheiro de volta que enviou e gastou nababescamente com os países "cupanheros" e ditaduras cubanas e africanas , perdoando dividas, enviando o nosso dinheiro para contruir portos , aeroportos e estradas em países "cupanheros" isso sem falar no bilhões de pixulecos espalhados em 13 anos de pt , Agora vem com a cara de pau dizer para ajudarmos pois estamos sem dinheiro. Senhor governador, aceitar esse tipo de argumento e achar que faz algum sentido sinceramente envergonha o valoroso e trabalhador povo de Santa Catarina.

Anônimo disse...

Esta mais do que na hora de diferenciar previdência paternalista de previdência de quem contribuiu o tempo legal. Deveriam ter nomes diferentes. Deficitários são os pagamentos de aposentadorias a pessoas que nunca contribuíram, como no caso dos trabalhadores rurais.

Anônimo disse...

Gente, é surreal!O governo federal cortou forte investimentos importantíssimos para a sociedade trabalhadora de Santa Catarina e elle, Collombo, ainda apoia a Mandioca Sapiens! O povo trabalhador de Santa Catarina é extorquido diariamente por Brasília (a capital mundial do Pixuleco) e não recebe nada de volta (ou algumas migalhas). Esse ellemento ainda tem a cara de pau de dizer que o estado deve muito ao governo do PT. Afinal, nós pagamos uma conta altíssima e o governador diz que Dillma é muito boazinha conosco. É burrice, ingenuidade ou rabo preso na Mandioca, Collombo?