Audiência pública de Paulo Pimenta centrou ataques na RBS

A foto ao lado é de manifestante na audiência pública de Paulo Pimenta na Assembléia do RS. A bola da tarde foi a RBS. Prudentemente, os petistas e seus aliados evitaram falar nos grupos Gerdau e Marcopolo, seus tradicionais financiadores de campanha. 

O juiz Mauro Canin, Ajuris, e o deputado Paulo Pimenta, acusam a RBS pelo silêncio obsequioso que a mídia gaúcha produz sobre as investigações da Operação Zelotes. Paulo Pimenta disse que a operação da PF em Santo Angelo, semana passada, foi no escritório do sobirnho do ministro do TCU, Augusto Nardes. Com o surgimento de nomes com foro privilegiado, parte do processo foi remetida para o Supremo Tribunal Federal (STF) que decidirá sobre o futuro dessas investigações.

O que disse Paulo Pimenta:

- Não é difícil entender esse silêncio. Entre os envolvidos estão alguns dos maiores anunciantes do país. Estamos diante de um escândalo de proporções absurdas. Aqui ninguém rouba migalhas, são casos de 100, 200, 500 milhões. É a corrupção da elite”.

Alguns dos anunciantes a que se refere Paulo Pimenta, como os grupos Gerdau e Marcopolo, poupados durante toda a tarde de ontem, são contribuintes de valores milionários das campanhas do PT no RS e no Brasil.

A sessão preferiu falar apenas na RBS. 

O deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS) afirmou nesta segunda-feira, durante audiência pública na Assembleia Legislativa gaúcha, que as investigações da Operação Zelotes trazem um conjunto consistente de indícios sobre a ramificação, no Rio Grande do Sul, do esquema de sonegação e fraudes tributárias praticadas junto ao Conselho Administrativo de Recursos Fiscal (Carf). O deputado de Santa Maria é elator da subcomissão que acompanha o andamento da Operação Zelotes, na Câmara Federal, 

A Operação Zelotes apresentará ainda neste mês de setembro a primeira etapa da denúncia, que deve trazer a responsabilização de seis grandes empresas, sendo uma delas do Rio Grande do Sul.
Dos 74 casos sob investigação, há um primeiro grupo que envolve seis empresas e valores da ordem de 5,7 bilhões de reais.

O Grupo RBS, a Gerdau, Mrcopolo, Mundial, os bancos Bradesco, Santander, Safra, Pontual e Bank Boston, as montadoras Ford e Mitsubishi e um grupo de outras grandes empresas estão sendo investigadas pela suspeita de pagamento de propina a integrantes do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais para anular multas tributárias milionárias.

Segundo as investigações feitas até aqui, pelo menos 74 processos tributários podem ter sido fraudados, provocando um prejuízo de aproximadamente R$ 21,6 bilhões aos cofres públicos. 

Os casos que estão sob investigação teriam ocorrido entre os anos de 2005 e 2015.
Os desdobramentos da Zelotes no RS.



14 comentários:

Anônimo disse...

Bem feito! A RBS ficou dando uma de chapar-barnca dos esquerdopatas agora tá levando "lá-onde-o-Sol-não-bate"...hehehehe

Anônimo disse...

Aloysio Nunes recebeu R$ 500 mil de caixa 2 para campanha de 2010, diz Pessoa:

O Jornal de todos Brasis

ter, 15/09/2015

O delator Ricardo Pessoa também mencionou o candidato peemedebista a governo de Minas, Helio Costa, como alvo de caixa 2

- O senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) teria se beneficiado de "caixa 2", no valor de R$ 500 mil, para a sua campanha de 2010, disse o empresário dono da UTC, Ricardo Pessoa, que é delator na Operação Lava Jato.

Pessoa afirmou que se reuniu com o senador em seu escritório, descrevendo o endereço na avenida 9 de Julho, em São Paulo, e "acertou a doação de 500 mil reais"

De acordo com o delator, Aloysio pediu "que o pagamento fosse feito da seguinte forma: R$ 300 mil oficialmente e R$ 200 mil em dinheiro".O empreiteiro afirmou aos investigadores da Operação Lava Jato que "não acreditava na vitória de Aloysio Nunes Ferreira, mas sabia que ele era uma pessoa influente no PSDB" e "um ministeriável sempre".

Leia mais:

O delator mencionou, ainda, sobre o repasse de "caixa 2" para Hélio Costa, candidato pelo PMDB ao governo de Minas em 2010. Pessoa disse que "também visitou o candidato ao governo do Estado de Minas Gerais nas eleições de 2010", em Belo Horizonte. A intermediação teria sido feita pelo ex-presidente do Banco Popular, Ivan Guimarães, que teria solicitado a doação de R$ 500 mil para a campanha de Costa, sendo "R$ 250 mil reais de forma oficial e os outros R$ 250 mil em espécie".

Xi, não se preocupem tucanoides, sendo tucano e ininputável, o delator passa a ser mentiroso quando fala do PSDB, só sendo verdadeiro o que fala de petistas ou assemelhados.

Quanto ao PSDB "não vem ao caso", segundo a República do Paraná, cujo chefe mor é o juiz moro e os sub chefe os Rpocuradores da Repúblicas e os subchefinhos, os Delegados da PF, todos da Lava Jato.


Anônimo disse...

que o PT pare de anunciar tanto

Anônimo disse...

A Receita Federal poderia dizer ao povo gaúcho como o Deputado Paulo Pimenta ficou milionário sendo apenas deputado?

E deveria investigar seu saco de laranjas!

Anônimo disse...

Em primeiro lugar, de se observar que a figura que porta o cartaz mantém às costas uma mochila.
Por que será que a petralhada adora carregar mochilas?

Em segundo lugar, bem feito para a RBS.

Anônimo disse...

A RBS deveria atentar para a história e perceber que a imprensa chapa branca é uma das primeiras vitimas de governos autoritários. Com certeza vai dançar.

Azamat Bagatov disse...

Briga de compadres... a RBS sempre puxou o saco do PT, justificou todas as besteiras deles. Deixa brigarem. Penas vão voar...

Anônimo disse...

A RBS sonegou impostos, isso também é roubo.

Anônimo disse...

SEM FALAR QUE O DEPUTADO EDSON BRUM DEVE TER LIBERADO UMA NOTA PRA RBS NAQUELAS PROPAGANDAS MEDÍOCRES... E A TV ASSEMBLÉIA SEQUER MOSTROU A AUDIÊNCIA PÚBLICA MOSTRANDO A PARCERIA COM O GRUPO RBS... midiazinha CORRUPTA!

Anônimo disse...

O Pimenta fala:"Aqui ninguém rouba migalhas, são casos de 100, 200, 500 milhões. É a corrupção da elite”. Tem razão porque de corrupção e roubo este político entende. É petista e amigo do Lula. Fala porque é do ramo!!!
A propósito como o Pimenta enriqueceu tanto em tão pouco tempo, dando expediente cheio na Câmara? Percebam que é o mesmo discurso do Zé Dirceu do tempo em que era deputado e ainda não tinha sido desmascarado. Vai longe este sujeito!

Anônimo disse...



Cada um colhe o que semeia!

Anônimo disse...

O Pimenta do partido envolvido em corrupção é outro como Luíz Inácio que só fala em elite branca. A elite petista a mais cruel e nefasta que aje contra o Brasil. Os funcionários da RF que permitiram e foram coniventes com tudo , pertencem à gestão petralha...logo...

Anônimo disse...

O Pimenta do partido envolvido em corrupção é outro como Luíz Inácio que só fala em elite branca. A elite petista a mais cruel e nefasta que aje contra o Brasil. Os funcionários da RF que permitiram e foram coniventes com tudo , pertencem à gestão petralha...logo...

Cosip disse...

QUAL FOI O PARTIDO QUE NOMEOU OS CONSELHEIROS DO CARF???
O PT. Sempre tem a digital deste partido.