Haitianos já disputam mercado de flanelinhas em Porto Alegre.

Imigrantes haitianos e senegaleses que desembarcam em massa já disputam mercado com flanelinhas no elegante bairro Moinhos de Vento, Porto Alegre.

Uma dupla deles, ontem, orientou o editor no estacionamento público, embora pago, área azul, tudo de olho na gorjeta que não levaram.

Mais levas de haitianos chegarão esta semana ao Sul.

É uma diáspora que não tem fim.


8 comentários:

Anônimo disse...

Chumbo na tigrada!!!

Anônimo disse...

Não tem fim Sr. Editor, pela simples razão que também não TEMOS GOVERNADOR de braço firme, para deportar de volta para o Acre.

Anônimo disse...

Como já comentei aqui, um conhecido meu inscreveu-se para contratar um imigrante a baixo custo, o que até o momento não aconteceu. O salário oferecido de R$ 1.000,00 parece não ter seduzido ainda este pessoal, para frustração do potencial empregador que sonhava substituir um brasileiro por alguém "que não recusaria nada".
Como vemos a realidade é outra, os hoje flanelinhas logo entrarão em contato com os velhos malandros das ruas. O final da estória vocês já sabem.

Anônimo disse...

Políbio,

Daqui a pouco, o tráfico de drogas nas ruas!!

Vide Europa!!

Só PT IDIOTA pode aceitar a imigração desordenada de senegaleses e haitianos!!

JulioK

Anônimo disse...

Contratar estes haitianos é uma roubada, o MPT fiscaliza a empresa na mesma hora, os haitianos ao conseguirem o emprego denunciam ao MPT a empresa!!

Luiz Vargas disse...

Eles poderiam se dedicar a esta profissão em frente a mansão do PeTralha Marcos Maia, em Canoas, ou quem sabe na rua, no bairro Chácara das Pedras, onde mora a PeTralha Maria Baldeação do Rosário.

Anônimo disse...

Absurdo!

Esse povo é sofrido e merece trabalho, mas virem nos extorquir já é demais!

Anônimo disse...

EM POUCO TEMPO ESTARÃO VENDENDO MACONHA NAS ESQUINAS E TOMANDO AS VAGAS CARCERARIAS DE NOSSOS BANDIDOS.