Crise da Petrobrás afeta TKK Engenharia, que pede recuperação judicial

A TKK Engenharia é a mais recente afetada pela crise na cadeia de fornecedores da Petrobras. Nos últimos meses, a empresa teve diversos contratos cancelados de forma unilateral pela estatal, o que resultou em dívidas superiores a R$ 60 milhões. 

A solução encontrada para manter o negócio vivo foi entrar em processo de recuperação judicial, aprovado nesta segunda-feira, dia 15 de junho.


4 comentários:

Anônimo disse...

a solidez das empresas brasileiras era uma falacia...

foi só o estado-financiador quebrar que todas elas quebraram junto...

Anônimo disse...

Chega destas empresas brasileiras só quererem "mamar" nas "teta$$$$" do governo através do dinheiro público.
Se não tem competência para se manterem sem as benesses do governo, que quebrem, que fechem!!!

elias disse...

Muito mal contado!
É só entrar na justiça exigindo o cumprimento dos contratos! Simples.
A não ser que tenham muitos rabos presos.....

Unknown disse...

A falácia dos estatistas é que se o estado quebra, todos que vivem nela quebram. A falácia dos liberais é quando empresas quebram, todos que vivem nela quebram.

Só estou esperando o dia que eu ver a natureza quebrar.

Amazônia, água doce, oceanos, planetas e a vida real.

Foi que um índio aqui no Ceará falou na TV.

Vocês aí ficam brigando, mas só quem vive na natureza sabe o que a realidade.

Se eu fosse militar no Brasil, eu pegaria toda essa cambada de todos os lados da briga e jogava no meio da amazônia e mandava se virar com seus discursos.

Vai perguntar para o Índio que mora no meio da floresta se lá tem isso.

Ele está preocupado se tem peixe na mesa, se tem natureza para manter o ar que ele respira. Se água potável dele continua potável.

Isso sim.

Na natureza, na fauna e na flora não tem isso não. Só quem inventou esses mazelas foi o ser humano ao longo da história criada por nós mesmos.

Vai ver se o cavalo, cachoro, o gato e essa turma passa por crise financeira. A crise deles é se acabar a água eles morrem. Se acabar o alimento, eles morrem.