Programa Minha Casa, Minha Vida está praticamente paralisado

O programa Minha Casa Minha Vida praticamente não contratou a construção de novas moradias destinadas à população de baixa renda, onde se concentra o déficit habitacional do país, nos dois primeiros meses de 2015.

Apesar da promessa oficial de contratar 350 mil novas habitações até junho, nas três faixas de renda do programa, houve paralisação na contratação da faixa 1, para famílias com renda mensal de até 1,6 mil reais. Para esse público, o governo subsidia até 95% do valor do imóvel.

Em janeiro, foram contratadas 1.561 unidades para a população enquadrada na faixa 1 do programa. No auge do programa, a média de contratação de moradias dessa faixa superava 30 mil unidades por mês. Nas faixas 2 e 3 foram contratadas, respectivamente, 31.866 e 4.868 moradias.

5 comentários:

Anônimo disse...

Essa faixa 1, com 95% de subsídio, é um absurdo. Eu não tenho casa própria e não terei tão cedo, mas tenho que contribuir com o meu dinheiro para que os outros tenham praticamente de graça! Essa merda de país é o país do assistencialismo. Cada vez concordo mais com aquela frase que ouvi não lembro de quem: "O Brasil não corre risco nenhum de dar certo".

Anônimo disse...

Mais conhecido como o minha casa minha dívida, que como tudo que os petralhas inventam, acaba sobrando para nós pagarmos, e dessa vez vão meter a mão no nosso fundo de garantia!

Anônimo disse...

Se continuar neste ritmo ... antes de encerrar o mandato a presidentA acaba até com o bolsa família.

Anônimo disse...

Brasileiro tem que terminar com esta história de "quem casa, quer casa" coisa inventada. Primeiro educação para uma boa estrutura pessoal, familiar, espiritual depois as conquistas materiais. Assim as pessoas não iriam se endividar por 20 a 30 anos.
É psicológico a coisa.

Anônimo disse...

Como o Fortunati irá fazer para retirar os moradores das vilas dick e nazaré para liberar o terreno para a construção da pista?