Ao falar de políticos desonestos, juiz da Lava-Jato diz que é preciso ‘chegar ao chefe’

Nas redes sociais, o chefe já foi identificado, mas o juiz do Petrolão não quis nominar ninguém - Os jornais desta terça-feira repercutem em todo o País a fala do  juiz federal Sérgio Moro durante a aula inaugural do curso preparatório da Escola da Magistratura Federal do Paraná - Paulo Lisboa. Ele disse que a Operação Petrolão usa os mesmos métodos de repressão a crimes de traficantes. Leia tudo -  CURITIBA - O juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal, disse nesta segunda-feira, sem citar o escândalo envolvendo o desvio de dinheiro da Petrobras, que políticos desonestos têm vantagens e, por isso, a Justiça precisa rastrear o dinheiro movimentado ilegalmente para “se chegar ao chefe”. Em aula sobre lavagem de dinheiro na Escola de Magistratura do Paraná, no início da noite, Moro afirmou que, nesses casos, a investigação contra políticos deve ser tal qual se faz contra chefes de tráfico de drogas.

Nesta terça-feira, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, vai enviar ao Supremo os pedidos de abertura de inquéritos contra políticose pedirá o fim o sigilo das investigações da Operação Lava-Jato contra algumas autoridades suspeitas de integrar o esquema, o que deve ser feito pelo relator do processo, o ministro Teori Zavascki, alguns dias depois.

Numa democracia, o político desonesto tem vantagens que um político honesto não tem ao usar dinheiro de origem ilícito para ganhar apoio popular para suas ideias. Por isso, assim como criminosos comuns, como chefes de tráfico de droga, é preciso rastrear o dinheiro para chegar até o chefe, uma vez que em geral eles não sujam as mãos — disse ele, emendando:

Se as investigações não forem suficientes para punir o chefe do crime, é preciso fazer com que ele fique sentado sobre o dinheiro sujo e não consiga usar para nenhuma finalidade — disse Moro, que chegou a fazer comentário à série americana “Breaking Bad”.

Moro lembrou ainda que as lei que punem a lavagem de dinheiro, no mundo todo, são novas, surgiram a partir da década de 80 (no Brasil, é de 1998), e apenas a sanção privativa da liberdade não é suficiente.

— É preciso privar o criminoso do "produto" de sua atividade. O crime não deve compensar — assinalou.

Moro explicou que raramente os chefes estão diretamente envolvidos nos atos criminais mais básicos, pois ele é o último beneficiário da atividade criminosa. Por isso, acrescentou, é preciso seguir o "velho conselho norte-americano", que diz: “se quiser chegar ao chefe, follow the money (siga o dinheiro)".

— Fatalmente o dinheiro vai chegar em quem tem o poder de controle sobre o grupo criminoso.

O juiz lembrou que o “lavador” de dinheiro tem sido um terceirizado profissional, que “recebe informações ótimas sobre origens e destino do dinheiro”.


9 comentários:

Unknown disse...

Por que o molusco, que não tem mais imunidade, ainda está livre, leve e solto. Esse câncer do Brasil só faz é tumultuar as investigações e confundir os incautos que ainda acreditam no Papai Noel do PT.
Prendam preventivamente pois é uma ameaça à nação brasileira.

Anônimo disse...

O "chefe" está protegido e blindado por uma imprensa adestrada, que se recusa a exigir publicamente suas explicações.

Anônimo disse...

Não acredito em deus, mas bem que ele poderia me surpreender e levar alguns loginho. Não somente em 2016.

Anônimo disse...

Walton, não é possível chegar ao molusco, é até perigoso, pois ele ameaçou o país com uma guerra civil, dizendo que se querem guerra, guerra terão, pois é só o chefe do MST botar o exército dele na rua. A justiça não aciona um indivíduo desses, por que?????

Anônimo disse...

Ninguem nunca prova nada contra o cara eh impressionante.

Eh mais liso que peixe ensaboado esse 9F.

Anônimo disse...

Otima reporragem , e' precisso processor o ladrao do Lula o mais rapiido possivel . O tipo esta preparando uma Guerra civel .Ja ameacou com os melicianos do MST

Unknown disse...

Quem tem medo do Stédile e de seu exército de foices e enxadas?
O caso do molusco, que começa num delírio de incitar a guerra civil, que com o exército do Stédile seria uma empreitada genocida da plebe do bolsa qualquer-coisa, é de masmorra ou de manicômio.

Anônimo disse...

Enquanto o capo estiver solto a roubalheira dos cofres públicos vai continuar. Capo na cadeia, já.

Cap Caverna disse...

A maior dificuldade de prender um traficante profissional é quando ele não toca mais na droga e sim financia a compra e lucra com a venda, sem envolvimento direto com a droga. E isso serve para o chefão dos petralhas que por enquanto está passando incólume, mas espero que não por muito tempo. Petistas corruptos e canalhas!