Congresso anula sessão que derrubou Jango em 64

Ao lado, o senador paulista Auro Soares de Moura Andrade.



O projeto foi aprovado na madrugada desta quinta-feira e com isto a sessão que derrubou Jango foi anulada. O ato do Congresso foi  protagonizada pelo então presidente do Senado, Auro de Moura Andrade. Ele ocorreu na madrugada de 1° para 2 de abril, quando Jango se encontrava no Rio Grande do Sul, e abriu caminho para a instalação do regime militar, que durou até 1985

16 comentários:

Nélio disse...

A iniciativa foi do senador Pedro Simon, hoje voluntariamente reduzido a um retrato na parede. O país indo à bancarrota, Dilmaluca, assessorada pelo incompetente profissional Mantega (o sujeito não acertar NENHUMA de suas previsões econômicas não deve ser fácil) destruindo os fundamentos econômicos brasileiros e o melhor que esse poltrão tem a oferecer à Nação é revogar um ato de CINQUENTA(!!!!!) anos atrás. De acordo com esse ser, devemos também revogar a primeira posse de Getúlio Vargas. Afinal, ela depôs um presidente legitimamente eleito, Washington Luiz. Senador, em respeito ao seu passado, tenha noção do ridículo! Mas pedir isso a quem tomou um “cala boca” de um patriota como Collor e briosamente aceitou (de onde deduzimos que coragem não é seu forte), convenhamos, é inútil.

Anônimo disse...

Tchê, mas que evento nobre, isso vai aumentar substancialmente a competitividade do BRASIL, melhorar a infraestrutura, inclusive melhorar as condições para realização da COPA DO MUNDO.
ISSO É 1º MUNDO.
Sem falar na saúde, educação, segurança, mobilidade urbana.
UM ESPETÁCULO.
REPITO NOVAMENTE:
A inteligência tem seus limites, a estupidez NÃO.

Anônimo disse...

não tinham mais nada para fazer?
quem sabe canelem o descobrimento do Brasil pelos portugueses também...

Anônimo disse...

Negativo, o regime militar continua, agora sem a farda.

Anônimo disse...

Com este ato, e apos a exumação, só fica faltando ressucita-lo e empossa-lo novamente.

Anônimo disse...

hahahah que coisa circense e totalmente inócua....a cara do Pedro Simon.

Fazer algo útil pelo Rio Grande que é bom, muito pouco. Muito, muito pouco....

Anônimo disse...

Então cai por terra a máxima de uns maus intencionados e fofoqueiros que afirmaram, os militares deram um golpe e tiraram o presidente, diga-se de passagem que era um baita comunista disfarçado.




Eduardo Menezes

Anônimo disse...

Já que Jango foi exumado, é só sentáa-lo na cadeira de presidente com a faixa e tudo.
Aquele que depois de morto voltou a ser presidente.

mj

Ivo Leo Hammes disse...

Isto é o que se chama PALHAÇADA.

Anônimo disse...

AGORA O JANGO VAI ASSUMIR A PRESIDÊNCIA NO LUGAR DA DILMA.
VÃO BOTAR UM CADÁVER NO GABINETE DA PRESIDÊNCIA, UM CADÁVER FAZ MAIS DO QUE UM GOVERNO CORRUPTO.

Anônimo disse...

O PEDRO SIMON APÓIA A GUERRILHA ARMADA NO BRASIL.
ELE É PT E, APÓIA UMA GUERRA CIVIL CONTRA AS PESSOAS DO BEM.
O EXÉRCITO TINHA RAZÃO MAS, FEZ POUCO.
DEVIA TER EXTERMINADO COM ESTES GUERRILHEIROS ASSASSINOS DO POVO HONESTO.

Campao disse...

É estranho como o Congresso é ágil e movimenta-se com rapidez nessas situações. Beneficia a quem, exatamente esse Ato Revogatório?
Como bem disse o leitor que produziu o comentário anterior: "o país indo à bancarrota" e um Senador legislando sobre matéria de tal interesse. E a gente pensa que já viu de tudo.

Anônimo disse...

Nossos políticos estão perdendo tempo e dinheiro com o passado e não fazendo nada para o presente e muito menos para o futuro."Que pais e esse".Bando de interesseiros.

FAÇANHA disse...

PEDRO SIMON ESTÁ GAGÁ,não percebem?
Só falta a família do songa-monga do Jango, - que foi transformado em líder trabalhista por outro gagá, o Getúlio daquela época, - entrar com pedidos indenizatórios!!!

Anônimo disse...

Bem, agora só falta a estes deputados incompetentes em todos os sentidos, fazerem "macumba" e ressuscitar os falecidos, para que estes voltem a ocupar seus lugares. O Brasil é um país sem representante moral na câmara.

Anônimo disse...

Concordo com você, caríssimo Ivo Leo Hammes, às 12:27! É tudo uma palhaçada!

O PRÓPRIO Fernando Gabeira afirmou que os esquerdistas de antanho não queriam derrubar o regime militar para, em seu lugar, instaurar uma democracia, mas que desejam e lutavam para a derrubada de uma ditadura de direita para instaurar um TOTALITARISMO de esquerda ( perdão pela redundância ) - depois, há pessoas que em pleno século XXI acreditam que o Leonel Brizola não era comunista, rs!

Almirante Kirk