Leite tem pressa em reduzir crescimento vegetativo da folha

O governador Eduardo Leite quer se valer de todos os instrumentos infraconstitucionais possíveis na tentativa de reduzir o crescimento vegetativo da folha de pagamento.

Ele ordenou a seus assessores que encontrem um meio de alterar as regras para a Previdência e carreiras dos servidores através de regulamentação ou decreto.

Leite quer evitar bater de frente com os deputados, ainda que tenha apoio da maioria dos parlamentares na Assembleia Legislativa.

9 comentários:

Anônimo disse...

Toda a vez que um governo tenta implementar estas medidas tudo acaba em precatórios.

Anônimo disse...

vejam se esse país caótico tem alguma solução...

Goias esta em estado de calamidade financeira...

a folha de pagamento suga 72% de todo o orçamento, podendo ate atingir 82% nos próximos anos se nada drástico for feito...

como que uma merda dessas pode dar certo?

o estado existe apenas em função do funcionalismo, existe apenas para gerir a si próprio, e não às cidades e ao cidadão...

Anônimo disse...

Beleza.Servidores que ganham um miséria vão se ralar,mas os CCs continuam em destaque no castelo de sonhos.Tudo sem concursos mamando nas tetas e ganhando mais que milhares de servidores.Políbio,na verdade,não existe transparência nos governos.Ou eles precisam de apoio nas eleições ou a maioria para votar projetos.Virou uma barganha.Moeda de troca.Troca de favores.Virou tudo uma meleca nojenta.E ainda falam em tirar o RS da crise.

Anônimo disse...

Depois que a pastá sai fora do dentifricio ela não volta mais pra dentro do dentetifricio .

Anônimo disse...

Enxugar a máquina pública é urgente. O Estado está literalmente falido e parado, faz oito anos.

Anônimo disse...

Os impostos do RS são os mais altos do país. Nosso salário está super reduzido. Não conseguimos mais ter uma vida dígna.

João Paulo da Fontoura disse...

Privatização:

Privatiza tudo, inclusive os trabalhos de campo da nossa polícia civil, deixando-a somente a parte cartorial. Nossa polícia não tem a menor capacidade técnica ( e intelectual) para equacionar qualquer crime. Não existe coisa mais patética que o interior dum posto de polícia, é uma ode à inércia! Terceiriza por resultados. Um exemplo: no caso da vereadora assassinada no RJ, se um escritório particular de detetives, com gente determinada, com recursos, experts, eles já teriam encontrados os assassinos há muito tempo! E o pagamento deve sempre ser por resultados! Num caso desses, 500 mil reais estaria muito bem pago! Mataram um advogado aqui em Taquari, duvido que em um ano eles descubram qualquer coisa, tudo se move em slow motion!

Anônimo disse...

O grande crescimento está na segurança pública, como as aposentadorias preces (homem, 30 e mulher, 25 anos) e com grande necessidade de reposição. Palavra com o vice-governador.

Luiz Vargas disse...

Não dou seis meses para os servidores estaduais que votaram neste embuste queiram comer-lhe o fígado.
Bem feito!
Votaram no clone do imperador Napoleão Júnior e esqueceram de algo parecido que ocorreu na campanha municipal de 2016: estelionato eleitoral (promessas feitas para depois não serem cumpridas).