Os quatro nós que Bolsonaro e sua equipe terão que desatar

Há exatamente quatro anos, logo após a reeleição de Dilma Rousseff (alguém ainda se lembra da dona?), este Instituto Mises publicou um artigo relatando o que nos aguardava pelos próximos quatro anos. Eis alguns trechos:

A situação real das contas públicas do Brasil está entre as piores do mundo. O superávit primário (receitas menos despesas, sem incluir o pagamento de juros da dívida) deixou de existir, e agora os déficits primários, que não ocorriam desde 1997, passaram a ser a norma. [...]

(...)

Olhando em retrospecto, a previsão foi até um tanto otimista.

O "trabalho sujo"
No entanto, há um consolo: desde a queda de Dilma em abril de 2016, algumas alterações de rumo foram feitas pelo governo Temer. Todas elas de extrema importância, mas cujos efeitos benéficos só serão sentidos daqui a vários anos (levando-se em conta, é claro, que elas sejam mantidas e respeitadas).

Dentre as principais podemos citar:
* a aprovação do teto de gastos;
* a reforma trabalhista;

CLIQUE AQUI para ler tudo.

5 comentários:

Anônimo disse...

é impressão minha ou a imprensa agora começou a valorizar o governo Temer?

Temer teve a chance de sair maior do que entrou se tivesse mantido seu foco na administração do país, como todos nos esperávamos que fizesse...

mas tentou dar uma pernada em todos achando que iria interferir na Lava Jato...

foi quando quebrou a cara e começou a perder apoio...

Anônimo disse...

Tem que agradecer que é o vampirão que vai entregar o governo.Falem do Temer,mas temos que agradecer que é o Temer e não a pilantra da Dilma.Mal ou bem ele fez alguma reforma e não fez mais porque a esquerda burra e corrupta não aprovou.

Anônimo disse...

Instituto Mises merece respeito. Começaram pequenos e agora estão bem conhecidos.

Anônimo disse...

Bolsonaro vai receber um país melhor com o Temer do que se fosse com a Dilma. Não gosto do Temer e nem do PMDB ou MDB. Mas entre o péssimo e o menos pior, vai no menos pior.

Pelo menos o Temer deixou as eleições acontecerem e aceitou o resultado. Algo que o PT nunca fez e nunca fará. Aquela eleição de 2010 onde o PT enfiou a todo custo a Dilma ao país foi a pior da história. Se não fosse a Lava Jato e o Impeachment, iriamos ter uma ditadura do PT bem maior.

Pelo menos o Temer respeita a constituição e aceita alternância de poder. Sem isso não teríamos renovação jamais.

Chico Valente disse...

O Governo Temer fez mais bem pelo Brasil que os destruidores da Pátria e da família não fizeram em treze anos.
Os três personagens citados no artigo e mais um tanto de destruidores mereciam estar atrás das grades, bando de lesa-pátria.