Juro deve cair para 7,5% ao ano nesta quarta e baixar rendimento da poupança

A estimativa dos analistas é que o juro continue a recuar nos próximos meses, chegando a 7% ao final deste ano, e permanecendo neste patamar até o final de 2018.

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central se reúne nesta quarta-feira  para definir a taxa básica de juros e a estimativa de analistas do mercado é de que a Selic será reduzida dos atuais 8,25% para 7,5% ao ano.

Se confirmada essa previsão, será o nono corte consecutivo nos juros básicos da economia, o que levará a taxa ao menor patamar desde abril de 2013, ou seja, em pouco mais de quatro anos.

Nesse patamar, a taxa também ficaria muito próxima da mínima histórica, de 7,25% ao ano, que vigorou entre outubro de 2012 e abril de 2013.

3 comentários:

Anônimo disse...

Engenharia brasileira sob ataque

As entidades representativas da engenharia abaixo assinadas vêm a público protestar contra o intento do Governo Federal, anunciado pelo jornal Folha de São Paulo de 16 de outubro último, em enviar ao Congresso Nacional projeto de Lei que abre indiscriminadamente o mercado brasileiro a profissionais e empresas de engenharia estrangeiras.

A engenharia brasileira, ao longo das últimas décadas, credenciou-se como uma das mais qualificadas do mundo. Além de contribuir decisivamente para o nosso desenvolvimento, está presente hoje em mais de 40 países, o que, além de gerar empregos e divisas, alavanca a exportação de produtos industriais brasileiros.

Não tememos a competição. Não somos xenófobos. Não podemos, entretanto, permanecer silentes diante do sistemático processo de desmonte da nossa engenharia em curso. A pretexto do combate à corrupção de alguns, o que nos une a todos, destrói-se a capacidade gerencial e tecnológica acumulada nas últimas décadas, levando ao fechamento de empresas e à irreparável perda de empregos.

Hoje, há mais de 50.000 engenheiros e centenas de milhares de técnicos desempregados. Amanhã, caso se implemente a proposta do Governo Federal, será irreversível o desmonte da engenharia brasileira, com o que não podemos concordar.

Brasília, 21 de outubro de 2017

Academia Nacional de Engenharia
ABCE - Associação Brasileira de Consultores de Engenharia
AEERJ - Associação de Empresas de Engenharia do Rio de Janeiro
AEPET - Associação de Engenheiros da Petrobrás
CBIC - Câmara Brasileira da Indústria da Construção
Clube de Engenharia
Clube de Engenharia de Alagoas
Clube de Engenharia de Pernambuco
CREA-GO
CREA-MG
CREA-PR
CREA-RJ
CREA-RS
CREA-SE
CREA-SP
FEBREAG - Federação Brasileira de Engenheiros Agrimensores
FISENGE - Federação Interestadual de Sindicatos de Engenheiros
FNE - Federação Nacional dos Engenheiros
Instituto de Engenharia
Instituto de Engenharia do Paraná
SENGE - Sindicato dos Engenheiros no Estado do Rio de Janeiro
SENGE-RS - Sindicato dos Engenheiros do Rio Grande do Sul
SINDUSCON Rio - Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do
Rio de Janeiro
SINAENCO - Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia
Consultiva
Sociedade Mineira de Engenheiros

Anônimo disse...

OS NAZISTAS ESTÃO DE VOLTA E SÃO MONITORADOS PELA POLÍCIA GAÚCHA
Igor Sperotto | Polícia Civil/Reprodução
Delegado Paulo Cesar Jardim, titular da 1ª Delegacia de Polícia de Porto Alegre, responsável pelo Grupo de Combate ao Neonazismo no Rio Grande do Sul, afirma que "os neonazistas se acham superiores ao MBL ou a políticos como Jair Bolsonaro”; “Não estamos lidando com bandidos, ou doidos. Estamos combatendo uma ideologia de mais de 70 anos”, analisa; segundo ele, na maioria são jovens entre 17 e 30 anos que agem com extrema violência, em bandos. Em geral, são indiciados por crimes como tentativa de homicídio, formação de quadrilha, corrupção de menores, propaganda e incitação ao nazismo; confira reportagem do site Extraclasse
25 DE OUTUBRO DE 2017 ÀS 11:45 // TV 247 NO YOUTUBE Youtube

Unknown disse...

Juros não baixam na ponta de consumo, mas na poupança... vergonha!!!