Corporativismo pressiona TCE para impedir extinção das Fundações

Pequenos grupos de servidores públicos estaduais já cercam o prédio do Tribunal de Contas do Estado, tudo para pressionar os conselheiros e conseguir apoio para o voto do relator, Cezar Miola, que quer mais tempo para a extinção de seis Fundações mantidas pelo governo Sartori.

O relator não tem maioria para aprovar seu relatório.

Há bastante tempo o corporativismo tem usado a Justiça do Trabalho, o MPE e o TCE para impedir que o governo cumpra a lei aprovada pela Assembléia.

8 comentários:

Anônimo disse...

Tá proibido de questionar as decisões do governo do Estado na Justiça e no TCE?

Unknown disse...

Foncionalismo Pelego é outra coisa!!!
Querem resolver tudo na porrada!!!
Por que não inventam um meio de gerar receita na porrada???

Anônimo disse...




AI A POPULAÇÃO DE SACO CHEIO DE SER ROUBADA
E VER SEU BOLSO ESGUALEPADO PARA PAGAR MORDOMIAS
E SALARIOS IREAIS ...PEDE A INTERVENÇÃO MILITAR...
OS BARNABÉS DOS 03 PODERES FICAM TODOS MIJADOS....

Anônimo disse...

Em pleno horário de trabalho, quero saber se vão cortar o ponto dessa gente, mesmo que eles não façam nada do trabalho, deveriam estar lá, mas estão aí protestando loucamente.

Unknown disse...

Anonimo das 15:13... Al aprovou!!!

Anônimo disse...

Não passarão, mas o GOVERNO tem que fazer algo, passamos na frente dessas fundação, e ta tudo igual, cheio de gente, de contratos, e gastos. Que façam logo isso e coloquem o cadeado nestas instituições.

Anônimo disse...

A lista dos jornalistas que apoiaram o golpe e hoje fingem que descobriram agora que Temer é um lixo:

Pedro Zambarda de Araujo - 25 out 2017 - DCM

A grande imprensa empenhou seus jornalistas na venda de que o impeachment de Dilma era sinal de que as instituições estavam funcionando. Boa parte deles hoje diz o contrário de ontem(...)
Não é bom senso. É porque o patrão mandou. (...)

1. Míriam Leitão: No dia 19 de outubro, Míriam Leitão publicou um texto chamado “Quanto custa”, perguntando se ainda vale a pena manter o governo Michel Temer no poder. (...)
Agora, a jornalista global acusa o próprio Michel Temer de “abandonar a agenda das reformas”, de gastar muito dinheiro público e de ser um presidente que mantém uma “conta imensa” pra permanecer no poder.

2. Ricardo Noblat: Quando Michel Temer assumiu, Ricardo Noblat foi integrante de um Roda Viva especial com o presidente primoroso em perguntas lambe saco. (...)
Com as denúncias de Joesley Batista na delação da JBS, Noblat chegou a publicar uma barriga no Globo de que Michel Temer renunciaria ao cargo. Depois do furo que virou furada, publicou no dia 23 de outubro o texto “O preço de manter Temer”. (...)
Temer estava na festinha de 50 anos de jornalismo de Noblat(...)

3. Merval Pereira: O imortal publicou no dia 24 de setembro que só agora a “democracia está em xeque”, falando do perigo do uso das Forças Armadas e do caos armado no Rio de Janeiro.
O colunista também deu repercussão às denúncias de Joesley Batista e da JBS, que atingiram o núcleo duro do PMDB (...)

4. Carlos Alberto Sardenberg: Guru da economia do grupo da família Marinho, Sardenberg ficou imortalizado por seus gráficos exagerados no Jornal da Globo de Waack, sempre atacando Dilma e o PT, e do otimismo com Temer no começo do governo. Agora, a roubalheira está tão no ar que até ele virou-se contra quem iria salvar o Brasil da corrupção.
Com a delação de Josley, Carlos Alberto Sardenberg sacramentou que a “calmaria acabou” e fez diversas colunas no jornal O Globo condenando o assalto aos cofres públicos feito por Michel Temer. Afirmou em julho que “reforma com corrupção não funciona”. (...)

5. Time da GloboNews: Renata Lo Prete, Cristiana Lôbo, Gerson Camarotti, Leilane Neubarth e Andreia Sadi agora denunciam com afinco as denúncias sobre os dólares de Geddel Vieira Lima e a corrupção do PMDB. O canal informativo da Globo omite o apoio que deu aos protestos do MBL de Kim Kataguiri. Chegou a exibir o pato amarelo inflado em todo o seu horário de noticiário, dando um espaço minúsculo para manifestações de esquerda.(...)

6. William Waack: Embora não tenha escondido o sorriso quando Lula foi condenado a nove anos e meio de prisão em primeira instância pelo juiz Sérgio Moro, Waack agora nos brinda no final de noite com denúncias envolvendo Michel Temer. (...)

7. Arnaldo Jabor: Depois de anos dedicado aos ataques contra lulopetismo, somente agora os ouvintes de Jabor na CBN descobrem que existe corrupção no governo Temer e por parte de tucanos como Aécio Neves. O próprio Jabor condenou a atitude do Senado ao “barrar a Lava Jato” salvando a pele de Aécio.

8. Diego Escosteguy: Responsável por divulgar vazamentos das operações da Polícia Federal e decisões do juiz Sergio Moro, Escosteguy até agora não conseguiu explicar como entrevistou Eduardo Cunha fora de “qualquer local do sistema prisional”, segundo ele mesmo. Em março de 2016, Escosteguy antecipou com sadismo em sua conta no Twitter a condução coercitiva do ex-presidente Lula em São Bernardo do Campo. (...)
Depois de tudo, é mandado para “novos desafios” por seus donos. A vida não é justa.

Anônimo disse...

Estilac: sem surpresas, desde as aulas no CCSH...