Funcionalismo público gaúcho fará greve geral nesta quinta-feira

A partir de hoje todos os servidores do Executivo do RS adotarão o sistema de operação-padrão, uma espécie de greve branca, na qual os funcionários comparecem às repartições e fazem de conta que trabalhanm.

Brigada e Polícia Civil fazem operação-padrão desde a semana passada.

Ontem, domingo, o editor utilizou pelo menos quatro táxis diferentes e soube pelos taxistas que Porto Alegre estava sem policiamento ostensivo algum. Apenas à tarde, nas manifestações do Parcão e da Redenção, apareceram efetivos da BM

Nesta quinta-feira, as entidades dos servidores estaduais farão greve geral de um dia em todo o Estado.

Os protestos só acabarão quando Sartori pagar a última parcela do salário de julho, dia 19.

Um comentário:

Anônimo disse...

A única saída para o funcionalismo estadual, principalmente para os professores, é em 2018, eleger novamente o competente ex-gov.tarso genro, que em 4 anos pagou salários em dia e ainda deu aumentos(para o magistério foram 76%). Ou quem sabe ainda, eleger o olívio dutra, sabidamente um político altamente competente. Somente assim, as crianças gaúchas, poderão estudar durante 4 anos sem perigo de greves do magistério. Pq as greves só ocorrem, qdo o estado é governador por políticos, que não sejam do partido do mensalão, PETROLÃO e outras roubalheiras.