Artigo, Luiz Braz - Os novos camelôs de Porto Alegre

Sem usar a polícia ou os fiscais da Smic, o ex-prefeito José Fogaça conseguiu desalojar todos os camelôs que infestavam a zona central de Porto Alegre, criando o Camelódromo, mas seu sucessor, José Fortunati, deixou rolar e o que acontece é isto que descreve o ex-vereador Luiz Braz. Leia:


Quem caminha pelo Centro de Porto Alegre tem dificuldades de passar pelas calçadas; elas estão tomadas, em diversos trechos, por moradores de rua, em número crescente, por índios, que atuam como camelôs, e por outros indivíduos que também comercializam mercadorias de várias procedências. Lembro-me bem do esforço que fez o município para construir um "camelódromo" para tirar as barracas das ruas centrais, levando todos para um só ponto. Ficou bom, o povo aprovou e parecia que tudo estava resolvido. Mas, não. Parece que a prefeitura perdeu o controle e, cada vez mais, os espaços nobres do coração de nossa cidade vão sendo tomados por novos ambulantes e outros sem ocupação. Experimentem passar pela Rua da Praia ou pela avenida Borges de Medeiros, nas proximidades da Salgado Filho.

Dizem os mais informados que ninguém tem coragem de mexer com os índios, porque não querem brigar com o Ministério Público Federal (MPF). Na minha simples opinião, o MPF não ajuda em nada fazendo esse protecionismo sem sentido.

CLIQUE AQUI para ler tudo.

13 comentários:

Anônimo disse...

POA a HAVANA do pampas.
estufa e criatório de comunas.

Anônimo disse...

Índio fora da floresta é cidadão civilizado, portanto...

Anônimo disse...

NA VERDADE,NÃO ERA PARA TER CAMELÓDROMO,NÃO ERA PARA TER AMBULANTES EM DEMASIA EM QUALQUER PARTE.SÓ AQUI NESTE PAÍS DE FAMIGERADOS MESMO.ACONTECE QUE OS GOVERNANTES FORAM DEIXANDO POR DÉCADAS O AJUNTAMENTO DE AMBULANTES NAS RUAS E NO CENTRO,E AÍ FORAM OBRIGADOS A DAR UM LAR A ESTAS PESSOAS,QUE NO FUNDO SABEMOS NÃO PAGAM IMPOSTOS,LÁ DENTRO TEM DE TUDO,VENDEM ATÉ PRODUTOS ROUBADOS,PIRATEADOS,FALSIFICADOS...E AGORA NOVAMENTE VAI JUNTANDO OUTROS AMBULANTES,VÃO TER QUE CONSTRUIR OUTRO CAMELÓDROMO?

Anônimo disse...

Não vai deixar saudade.
Só tem tamanho.

Anônimo disse...

Ah, meu, não vai longe uma cidade de considera flanelinha um trabalhador, cujo nome correto seria criminoso, estelionatário, ladrão, ... E a eptc, outra estelionatária, permite aqueles caras transitando pelas calçadas e ruas, principalmente, com aqueles vagões apinhados de lixo e porcarias. Ãin, mas coitadinhos, são pessoas em "situação de rua", coitadinhos. Coitados é o caramba, pergunta se algum deles quer um emprego formal, a possibilidade de uma vida normal novamente. Não, né. Então, se não querem, devemos tratá-los e chamá-los pelos estorvos que são.

Anônimo disse...

Na verdade autorizaram o ilícito em lícito. O que podemos esperar de um governo como esse? Isso chama-se terra sem lei.

Anônimo disse...

Até os postes do Centro sabiam que na primeira crise os camelôs ocupariam novamente as ruas. Óbvio. Jamais deveria ter sido gasto dinheiro construindo camelódromo algum.

Anônimo disse...

Índios querem desaproptiar territórios aue axmcreditam ser seu, mas para arrendar, pois cultivar que é bom não querem querem é estar enfiado no centro vendendo porcaria. Indío em cidade não é índio, é cidadão comum.

Anônimo disse...

Deveriam ser destinados os prédios públicos utilizados pelos chefes dos poderes públicos para alojamento e comercialização ilegal. É questão de identidade e de afinidade.

Anônimo disse...


Uma das promessas do Fortunati era revitalizar o Centro Histórico, onde inclusive êles reside.
Fora a orla do Gasômetro que recém iniciou, nada foi feito.
Sujeira por onde se anda, excrementos humanos e caninos nas ruas, pichações e tudo que imundície inunda o nosso centro.
Lamentável, e os vereadores também nada fazem.
É o legítimo desgoverno.

Anônimo disse...

Na época da construção do camelódromo disseram que seria uma parceria público-privada (ppp) e que a prefeitura não gastaria nada nisso.
Também foi dito que haveria fiscalização permanente da prefeitura para impedir novos ambulantes.

Revitalizar o centro passa por evitar a presença dos marginais travestidos de "comerciantes" de celulares e cigarros. Este é contrabando e o outro puro material roubado, onde está o lado "social" disso?

Anônimo disse...

Este centro está uma imundície, bem ao gosto dos esquerdistas que comandam esta cidade e este país. Mas ao tirar férias nenhum deles fica passeando aqui pelo Centro. Gostam de ir para Paris, onde tudo é lindo e limpo!

Anônimo disse...



SMIC com Secretários medíocres, tolerância para o crime, não-renovação do Convênio com a Brigada Militar, pasmaceira geral das autoridades públicas..

E ainda subvencionaram essa falcatrua toda chamada de camelódromo com dinheiro público!!!

Terceiro Mundo!!!