Assembléia do RS derrota corporativismo e fisiologismo ao criar a Lei de Responsabilidade Fiscal

O período de convocação extraordinária da Assembléia do RS, previsto para três dias, resumiu-se a um só dia, ontem. A Assembléia demonstrou coragem e abriu caminho para mudanças ainda mais ousadas, como a aprovação imediata de concessões públicas, sobretudo na área rodoviária.

Sartori conseguiu aprovar 26 dos 30 projetos que encaminhou, entre os quais dois que são emblemáticos:

1) A Lei de Responsabilidade Fiscal, a única de qualquer Estado, que remete para o presente e para o futuro do equilíbrio fiscal sustentado do RS.
2) A limitação de cedências de funcionários públicos para sindicatos, tudo por conta do Estado.

Esta é a sexta fase do chamado Ajuste Fiscal Gaúcho, que vai saindo de modo lento, gradual e seguro, mas que precisa ser ainda mais ousado.

Foi uma vitória aplastante, apesar da grita dos líderes das corporações e de políticos fisiológicos.

A oposição, comandada pelo PT, tentou cancelar as sessões via mandado de segurança que foi repelido pelo Tribunal de Justiça.

O projeto mais importante que ficou para fevereiro foi o que autoriza concessões públicas, com ênfase para rodovias. O governo percebeu que não tinha votos para vencer e preferiu deixar tudo para a nova legislatura, que começará no dia 2 de fevereiro, quando a deputada Silvana Covatti já será a presidente da Assembléia.

5 comentários:

Anônimo disse...

Agora que foi aprovada a Lei que irá submeter a população a INsegurança Pública, quero ver o Sr. Governador... Vai parar com o mimimi e ir trabalhar ou vai inventar outro bode expiatório que não os servidores? Agora com a LRFE aprovada acabaram-se as desculpas, vai ter que trabalhar mais e reclamar menos.

Anônimo disse...

Agora toda vez que a vanguarda do atraso perde uma, correm ao judiciário para tentar melar o jogo. Mas, nem tudo é como o supremo, para o azar deles.

Anônimo disse...

EM 2016 VÃO AS OUTRAS:CORAG,FDRH...

Emmanuel Carlos disse...

Parabéns aos patriotas do Rio Grande.
Espera-se que os nomes, mencionados na lista dos traidores, sejam lembrados por ocasião das eleições municipais do ano vindouro.
O alerta é importante porque, via de regra, o povão tem memória fraca!

Anônimo disse...

Como o anonimo das 29 de dezembro de 2015 09:5529 de dezembro de 2015 09:55 disse:

2016 é o ano de acabar com umas das fundações mais nefastas e fisiologista deste Estado a FDRH. e com a empresa estatal que não tem sentido concorrer com a iniciativa privada : CORAG