Imobilizado no Piratini, Tarso promete "A Grande Virada"

Dilma foi buscar inspiração em Mao para o seu "Grande Salto", que acabou resultando no Pibinho de 0,6% do primeiro trimestre. Mais moderno, Tarso foi buscar o modelo em Ben Aflick (foto ao lado), mas sua "Grande Virada" também resultará em fraude. É que como Dilma, Tarso apenas faz retórica e produz facóides. Ambos administram de forma incompetente os seus governos.



Sem nada para oferecer aos eleitores gaúchos em dois anos e meio de governo, Tarso Genro prepara-se para o que a jornalista Taline Oppitz, Correio do Povo, chama, hoje, de A Grande Virada. Não será nada semelhante ao Grande Salto anunciado por Dilma Roussef, porque para fazer isto seria preciso que algum salto anterior estivesse em execução. O governador está obcecado com as eleições do ano que vem - Piratini ou Senado - e busca conseguir embaralhar o jogo eleitoral com mais retórica e mais factóides. A Grande Virada de Tarso é apenas mais discurso, porque seu governo é um governo que não faz - e não sabe fazer.Tarso Genro "inviabilizou" (economista Darcy Carvalho) e "travou" (Duda Melzer, RBS) o Estado. Leia a nota de Taline:

Na véspera do ato de levantamento das cancelas da praça de pedágio de Farroupilha, hoje, às 9h, Tarso Genro reuniu integrantes do núcleo de gestão e coordenação para uma espécie de seminário de governo, no Palácio das Hortênsias, em Canela. O grupo é formado por secretários de áreas estratégicas. No encontro, que durou cerca de cinco horas, foi feita a avaliação das ações dos dois primeiros anos da gestão e uma preparação para os próximos meses, decisivos para os planos de sucessão em 2014. “Os movimentos que fizemos até agora começam a ter coerência e integração, e a perspectiva concreta é de uma grande virada”, disse Tarso, em entrevista à coluna. Na reunião, foi enfatizado que o segundo semestre deve ser marcado pela concretização de obras e de investimentos e que as ações visando ao desenvolvimento econômico, social e industrial e os frutos de recursos do governo federal aplicados no Estado devem ser “entrelaçados” com o objetivo de formar um conjunto de símbolos da administração. As orientações técnicas e políticas, resultado da reunião, serão repassadas aos demais integrantes do primeiro escalão e a setores estratégicos da administração indireta, na próxima semana, em documento assinado por Tarso. Será a “Nota Diretriz número 30”, fórmula utilizada por ele para repassar orientações desde o início do governo.

12 comentários:

CARLOS SGARBI disse...

Para vc que não passa dia após dia, naquele local de extorsão, implantado pelo Britinho e seus sócios, o pedágio de Farroupilha, é mesmo insignificante a extinção do mesmo. Talvez ainda, vc seja daqueles que acreditam que as operadoras devem receber indenização, ne? Ou vc também acredita que aquele pedágio implantado na estrada que leva a Gramado, após a SOCIEDADE TER REFORMADO A ESTRADA, também e normal e moral? Pedagio em estrada de mao simples, editor, so mesmo em pais como o nosso. E com a complascencia da dita mídia imparcial, que a época e durantes estes anos todos, RECEBERAM GENEROSAS VERBAS DAS OPERADORAS.

Anônimo disse...

Hoje ele e seus milicianos radicais e comissários do partido estarão fazendo mais um baderna aqui em Caxias. A presepada será no posto de pedágio da rodovia Caxias-farroupilha, com direito a hino da internacional socialista, charuto cubano e toda sorte de presepadas que a esquerda latina sabe fazer.

Quanto a grande virada? ele já deu, transformou o RS num reduto comunista sindical e expulsou os empresários e investidores. Este homem tem que pagar nas urnas o mal que fez ao povo trabalhador gaúcho, com um vexame aos moldes das eleições passadas em POA>

Anônimo disse...

A grande virada será quando elle virar "as costas" para ir embora... Mais que baita saudade da governadora Yeda gente, estávamos no caminho do progresso e do crescimento e ninguém percebeu. Mais como estamos no auge da época das tramoias no Brasil o que é bom de verdade fica em segundo plano. nos dias de hoje só e preciso ser bom em fazer promessas e factoides, o povo aceita e toca o barco do faz de conta, onde a unica verdade é que estamos indo pro brejo "numa boa" como diz a gurizada!
Veinho.

Surfista Prateado disse...

Com o fim dos pedágios, a criação de mais estatais e os aumentos generalizados de salários para os "funcionários" (só funcionam para receber o contracheque) públicos, Tarso já está eleito em 2014 e estaria também em 2018, se pudesse concorrer. É tudo que o atrasado povo gaúcho quer. O resultado será um desastre ainda maior daqui alguns anos, e o divertido de tudo é que muitos dos que o elegeram vão pagar a maior parcela do caos, justamente os trouxas que ganham menos.

Anônimo disse...

O único tipo de virada das esquerdas é a mudança de sexo!

Anônimo disse...

A gauchada inteligente agora lamenta a saída da Yeda.

Anônimo disse...

Políbio,

Pobre Tarso Genro, ainda pensa que vale alguma coisa!!

Ninguém mais aguenta o PT!!!

JulioK

Luiz Vargas disse...

Grande virada???
Será que isto quer dizer que o peremPTório embu$teiro onanista prestará suas homenagens a Onan "di costas"?

Anônimo disse...


DEVE ESTAR SE REFERINDO A DENUNCIA DO BRASIL NA O.E.A. POR CAUSA DO PRESÍDIO CENTRAL DE PORTO ALEGRE, EM QUE O GOVERNO ESTADUAL APENAS APARTOU UMA GALERIA PARA PEDERASTAS E TRAVESTIS FICAREM MAIS A VONTADE NO XILINDRÓ.

Anônimo disse...


Forbes fala do ódio à Veja e das ligações da Abril com Cachoeira:

A revista Forbes publicou o necrológio de Roberto Civita, proprietário da Editora Abril recentemente falecido.

Nele, fala do pioneirismo da Abril, da formação de Civita. E constata que a revista Veja, a de maior tiragem fora dos Estados Unidos, também é um dos meios de comunicação mais odiados do Brasil, devido ao seu conteúdo de direita.

Narra também as ligações de Veja com o bicheiro Carlinhos Cachoeira. Diz que Veja se envolveu na cobertura de corrupção e lavagem de dinheiro. Menciona a CPMI de Cachoeira e de suas 167 convocações entre as quais um editor de Veja.

Billionaire Roberto Civita, Brazilian Media Baron, Dies At 76

Brazilian billionaire Roberto Civita , the head of one of Latin America's largest media conglomerates, died on Sunday after spending more than 60 days at a São Paulo hospital due to complications of an aneurysm, according to his media group, Abril. He was 76.

The son of Victor Civita, who founded Abril in 1950, Roberto Civita took over the company in 1990 when his father died. Abril currently employs more than 7,000 people, and includes Editora Abril, which publishes some of Brazil's biggest magazines, and the publicly listed Abril Educação.

Anônimo disse...

Obras? que obras que não as vejo?

Anônimo disse...

Anônimo disse...
Obras? que obras que não as vejo?

1 de junho de 2013 03:22 E AS KAGADAS TU NÃO ENCHERGA...