Marco Schroeder, presidente da Oi, renunciou esta tarde no Rio

O presidente da Oi, Marco Schroeder, renunciou ao cargo nesta sexta-feira, 24. Com isso, são grandes as chances de a empresa de telefonia, que tem dívidas de mais de R$ 65 milhões, pode entrar em colapso.

Eurico Telles, diretor da Oi, assumiu interinamente a presidência.

A renúncia de Schroeder pegou de surpresa o governo, que busca uma solução para a companhia.

A informação é do Correio Brazieliense.

 Na carta de renúncia, Schroeder cobrou o pagamento de R$ 30 milhões em bônus, sendo que R$ 10 milhões devem ser pagos imediatamente, por ter cumprido as metas acertadas há um ano, quando ele assumiu o comando da companhia.

CLIQUE AQUI para ler a carta de renúncia de Schroeder e entender também o que está acontecendo de fato na companhia. É reportagem da newsletter diária Brazil Journal, do publisher Geraldo Samor.

10 comentários:

Anônimo disse...

Editor, favor corrigir: a dívida é em bilhões.

Anônimo disse...

65 bilhors

Anônimo disse...

É que jornalistas e advogados não sabem a diferença entre milhões, bilhões e trilhões.

É tudo igual. Termina sempre em lhões.

Anônimo disse...

Entrega pros chinas que eles dão um jeito ...
Brasil, país dos chinas.

Anônimo disse...

E a gasolina a 5 reais e o gás 79 reias aqui em São Gabriel , fora Temer

Anônimo disse...

É isso que acontece quando grandes empresas tem administração "profissional".
Gastam verdadeiras fortunas em bônus e a empresa não sai do buraco.

Anônimo disse...

Esse não é aquele da antena perto do sítio do Lulla?

Anônimo disse...

o mais impressionante no Polibio é que os leitores o avisam do erro dos milhoes e ele simplesmente nao corrige o post...

fui no Google pra saber da divida, e Globo, Folha e UOL noticiam que a divida é de 65 BILHOES mesmo....

Anônimo disse...

isso é um dos efeitos das privatizações

Anônimo disse...

Primeiro, grande coisa ele fez, e uma empresa que paga luvas/salário de R$ 30 milhões tem mais é que quebrar!!! Nada de intervenção, afinal foi tudo privatizado, tem é que cobrar a dívida e fatiar o mercado pra empresas menores.