A greve do Cpers virou uma greve de papel

A greve da direção lulopetista do Cpers não passa de uma greve de papel, porque apenas 76 das 2.445 escolas estaduais estão fechadas.

A greve acabou e o Cpers ainda tira notas com conteúdos politicamente extremistas.

PT, Psol e assemelhados saíram novamente chamuscados da aventura.

15 comentários:

Anônimo disse...

A era do peleguismo já acabou e esses mortos-vivos não percebeu.

Anônimo disse...

é a tal minoria barulhenta que aparenta ser maioria...

ja que a maioria mesmo fica sempre com a boca mole olhando a paisagem pela janela...

ai da nisso ai, com notinhas mequetrefes e materias de jornalistas companheiros da pra fazer parecer que se trata de uma greve monumental...

Anônimo disse...

Os filhos dos "lideres" da CPERS estudam em Escolas Publicas?

Anônimo disse...

E, de novo, a cada vez mais irrelevante mídia bombachuda passa o atestado de conivente e omissa ...

Vergonhosamente, não fizeram uma só crítica e deixaram a classe estudantil à mercê das milícias sindicais.

Mas a grande mídia local não deixou de comentar, à exaustão, banalidades futebolísticas do tipo "temperatura média do peido de um jogador da dupla grenal" ...

Com uma imprensa dessas, até a Alemanha vira um Burundi !

Anônimo disse...

pra mim não tem diferença do cpers e do mst.Já virou quadrilha.O ensino no RS já era,estão formando burros.Os professores não querem mais trabalhar.A crise não é só deles.E quem deixou o RS e o Brasil assim,foi justamente o partido que eles apoiam,o partido do mal,que se chama PT.Eles no poder usam e abusam,torram o nosso dinheiro,depois o sucessor que se rale.Esta gente não me engana mais.

Anônimo disse...

Da-lhe Sartori, primeiro governador reeleito do Rio Grande. Não alivia com esta pelegagem sindicalista.

Anônimo disse...

Transfere, gradativamente, os alunos e os recursos para municípios e particulares, canado com essa palhaçada que só atrasa o RS.

Mordaz disse...

Não é greve, é vagabundagem. Como não podem ser demitidos como deveriam, vivem fazendo querela para não trabalharem.

Anônimo disse...

PT ja foi morto E enterrado perdeU feio na ultimam eleiçao p prefeitos EM TODO PAIS - TODO PAIS. PERDEU EM TODAS CAPITAIS =TODAS. PERDEU NAS CIDADES GRANDES TAMBEM EMBORA SEJAM DE INTERIOR SAO GRANDES =É PERDEU FOI ESMAGADO A PÓ EM 2018 VAMOS CORRER COM OS AINDA SAO SENADORES DEPUTADOS E GOVERNADORES- XOOO ACABOU A BANDIDAGEM O ASSALTO AOS COFRES PUBLICOS E O DESMONTE DAS ESTATAIS ACABOOOOO A FARRA DE LEVAR NOSSA GRANA P OUTROS PAISES =ACABOOOO A FARRA DANDO BILHOES A SINDICATOS P TER APOIO = JÁ PSOL REDE PDT NEM CONTAM NAO SAO NADA APENAS LIXOS

Anônimo disse...

Onde está o Congresso que não proibe Greve em Serviços essenciais para o povo, esse que só paga imposto e não tem retorno.

Anônimo disse...

A grande imprensa gaúcha é totalmente irrelevante. Se salva o Políbio e uns outros blogs.

Anônimo disse...

Chamuscados de aventura? Isso chama-se irrresponsabilidade com as crianças e adolescentes. Os culpados dessa palhaçada toda somos nós povo, que pagamos altíssimos impostos e nada recebemos em troca. Ficaremos de braços cruzados até quando? De 100% do que o governo arrecada 70% é para o pagamento do funcionalismo público e os 30% restante para investimento em quê? Ninguém sabe. O RS está literalmente falido em todos os sentidos.

Anônimo disse...

CORPORATIVISMO NA EDUCAÇÃO
No meu modo de pensar, o movimento sindical passa ao largo da preocupação com o bom ensino. Explico: Os sindicatos estão focados cada vez mais na luta pelos interesses da categoria e deixam de lado a qualidade do ensino, que é uma responsabilidade social. Quando fui diretor de uma escola pública, se via essa forte tendência nos sindicatos. Em reuniões com os professores, palavras como aluno ou ensino jamais eram mencionadas por eles. Apenas se discutiam ali os interesses da categoria.
O movimento sindical politizou-se a um ponto tal que não se acham mais nele pessoas realmente interessadas em educação. Estas debandaram. Acho que o sindicalismo serve apenas como um palanque, capaz de lhes dar uma visibilidade que jamais teriam de outra maneira. Repare que esses sindicalistas são poucos - e estão longe de expressar a opinião da maioria. Mas têm voz.

Anônimo disse...

Fora com esses lixos PT Psol em 2018.

Anônimo disse...

o estatuto do servidor ordena demissao e abandono apos 30 dias sem ponto