5 pontos da lei fascista contra aplicativos móveis que será votada hoje no Senado

A regulação claramente foi elaborada com intenção de prejudicar os motoristas de aplicativos.

O PLC 28/2017, que visa acabar com os aplicativos móveis (Uber, Cabify) no Brasil e será votado nesta terça (31/10) no Senado, precisa ser rejeitado em sua integralidade.

Raras vezes vimos um projeto de lei tão mal intencionado em todos os seus pontos.

Vamos discutir os pontos básicos para que se tenha uma ideia da má-fé de quem bolou o projeto.

Ponto 1: Exigência de que os veículos tenham placas vermelhas iguais às dos taxis

O truque nesta regulação é tratar os motoristas de aplicativos como os motoristas de táxis. Porém, os motoristas se aplicativos são pessoas que utilizam seus carros de uso cotidiano para conseguirem uma renda extra no aplicativo. Não é o mesmo que os caos destinados a táxis, que são destinados exatamente a essa função.

CLIQUE AQUI para ler mais.

13 comentários:

Anônimo disse...

Esse País é muito atrasado porque a cambada de políticos só pensa no bem deles e não o da população. Este projeto demonstra claramente que, se não houver uma mudança efetiva nos três poderes, jamais chegaremos perto do primeiro mundo!!

Anônimo disse...

LULA E O PT SE BENEFICIARÃO COM O TÉRMINO DOS APLICATIVOS PARA MOTORISTAS?????

Com a derrocada dos motoristas de aplicativos, desemprego e crise aumentarão, pois milhões de pessoas terão uma fonte de renda a menos. Resultado: mais insatisfação e luta de classes!

ISSO PROVA QUE LULA É A MELHOR OPÇÃO!!!!!


LULA 2018 LULA 2018 LULA 2018 LULA 2018 LULA 2018 LULA 2018 LULA 2018 LULA 2018 LULA 2018

Anônimo disse...

Espero que seja aprovado.

Anônimo disse...

Enviem e-mail ao senadores, exijam o voto em contrário a este PL vergonhoso!

josemedeiros@senador.leg.br, jose.pimentel@senador.leg.br, jose.serra@senador.leg.br, lasier.martins@senador.leg.br, lidice.mata@senadora.leg.br, lindbergh.farias@senador.leg.br, lucia.vania@senadora.leg.br, luizhenrique@senador.leg.br, magno.malta@senador.leg.br, marcelo.crivella@senador.leg.br, maria.carmo.alves@senadora.leg.br, marta.suplicy@senadora.leg.br, omar.aziz@senador.leg.br, otto.alencar@senador.leg.br, paulo.bauer@senador.leg.br, paulopaim@senador.leg.br, paulo.rocha@senador.leg.br, raimundo.lira@senador.leg.br, randolfe.rodrigues@senador.leg.br, reginasousa@senadora.leg.br,
reguffe@senador.leg.br, renan.calheiros@senador.leg.br, ricardo.ferraco@senador.leg.br, roberto.requiao@senador.leg.br, robertorocha@senador.leg.br, romario@senador.leg.br, romero.juca@senador.leg.br, ronaldo.caiado@senador.leg.br, rose.freitas@senadora.leg.br, sandrabraga@senadora.leg.br, sergio.petecao@senador.leg.br, simone.tebet@senadora.leg.br, tasso.jereissati@senador.leg.br, telmariomota@senador.leg.br, valdir.raupp@senador.leg.br, vanessa.grazziotin@senadora.leg.br, vicentinho.alves@senador.leg.br, waldemir.moka@senador.leg.br, pinheiro@senador.leg.br, wellington.fagundes@senador.leg.br, wilder.morais@senador.leg.br, zeze.perrella@senador.leg.br,
dario.berger@senador.leg.br, davi.alcolumbre@senador.leg.br, delcidio.amaral@senador.leg.br, donizeti.nogueira@senador.leg.br, douglas.cintra@senador.leg.br, edison.lobao@senador.leg.br, eduardo.amorim@senador.leg.br, elmano.ferrer@senador.leg.br, eunicio.oliveira@senador.leg.br, fatima.bezerra@senador.leg.br, fernandobezerracoelho@senador.leg.br, fernando.collor@senador.leg.br,
acir@senador.leg.br, aecio.nevis@senador.leg.br, aloysionunes.ferreira@senador.leg.br, alvaro.dias@senador.leg.br, ana.amelia@senadora.leg.br, angela.portela@senador.leg.br, ataides.oliveira@senador.leg.br, antonio.carlos.valadares@senador.leg.br, antonio.anastasia@senador.leg.br, benedito.lira@senador.leg.br, blairo.maggi@senador.leg.br, cassio.cunha.lima@senador.leg.br, ciro.nogueira@senador.leg.br, cristovam.buarque@senador.leg.br,
flexa.ribeiro@senador.leg.br, garibaldi.alves@senador.leg.br, gladson.cameli@senador.leg.br, gleisi.hoffmann@senador.leg.br, heliojose@senador.leg.br, humberto.costa@senador.leg.br, ivo.cassol@senador.leg.br, jader.barbalho@senador.leg.br, joao.alberto.souza@senador.leg.br, joao.capiberibe@senador.leg.br, jorge.viana@senador.leg.br, jose.agripino@senador.leg.br, jose.maranhao@senador.leg.br

ganhatudo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Unknown disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...



Por trás disto está a campanha eleitoral de 2018, é que sem o dinheiro do empresariado da construção civil, a turma resolver apertar o cerco a quem tem o tutu, vai que corra um por fora para não aprovarem as drásticas medidas, além da promessa de não retomarem o tema, apesar que promessa de politico...

Anônimo disse...

Boa anônimo das 12:12h temos que encher eles de e-mail, eles tem que sentir a pressão do povo.

FAÇANHA, o ADVOGADO do POVO. disse...

Se os taxis são fiscalizados, os uber também deverão ser; ou ninguém seja fiscalizado. O que não pode é aplicarem dois pesos e duas medidas!!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

PT É CONTRA O UBER- POIS SAO DITADORES NAO QUEREM O PAIS CRESCENDO NAO QUEREM OS DSEMPREAGDOS TRABALHANDO DE MOTORISTAS NO UBER
FORA PT A NOSSA BANDEIRA JAMAIS SERA VERMELHA

Anônimo disse...

Hoje uma corrida de taxi em média custa 60 % mais caro que uma do Uber e ainda é mais demorada para chegar. è o monopolio comunista nos amarrando.

Anônimo disse...

Não entendi o motivo da censura do meu comentário, vou tentar ser mais prático: Taxistas querem igualdade, então motoristas de aplicativos também terão descontos na compra de veículos novos e serão isentos de pagar o IPVA?