Fabricantes de tornozeleiras eletrônicas lucram com crise política

Há um setor da economia brasileira que está lucrando com o imenso volume de escândalos políticos e com a crise no sistema prisional do país nos últimos tempos: o de fabricação de tornozeleiras eletrônicas.

A curitibana Spacecom e a paulista Synergye, líderes do mercado nacional, monitoram no momento 30 mil tornozeleiras e projetam, para este semestre, a contratação, por parte do Poder Público, de idêntico número.

4 comentários:

Anônimo disse...

o lucro mesmo vem desse STF que nos temos...

nao fosse isso, tornozeleiras nao seriam necessarias, pois todos estariam onde deveriam estar: na cadeia.

Anônimo disse...

No ano de 2016, o setor de segurança patrimonial..câmeras..alarmes..vigilância..tiveram um faturamento de mais de 6 bilhões..Há muito interesse que continuemos nesta desgraça..Alguém tem duvida?

Anônimo disse...

Políticos continuam lucrando mais.

Anônimo disse...

polibio

a segurança do cidadão só vai melhorar quando o próprio puder fazer a sua defesa pessoal com posse e porte de armas como os americanos fazem e o trump assegurou que isso continuara nos eua e por isso ganhou as eleições

chega de mentiras contra as armas, só com elas o cidadão terá segurança, poi aí o vagabundo saberá que poderá encontra pela frente um cidadão disposto a se defender a si e a terceiros como preve a lei

o resto da tal segurança pública é conversa mole e de setores coorporativos que não querem que nada mude e o cidadão continue refém de toda a incompetência que graça no setor e ainda acham que estão fazendo alguma coisa

o que sabem fazer é greves e paralisações a toda hora

chega, direito de posse e porte da arma já

nossos deputados que se mexam é hora de votar a nova lei das armas

o povo armado jamais será derrotado...

é assim que funciona no maior e melhor país do mundo, os estados unidos da américa

onde existem cidadão de 1ª classe, aqui estamos na pior das classes