BrasilPrev avisa Moro que bloqueou R$9 milhões de Lula

O BrasilPrev, do Banco do Brasil, comunicou nesta quinta-feira ao juiz federal Sérgio Moro que bloqueou o montante de R$ 9 milhões do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O dinheiro será usado pela Justiça Federal para ressarcir a Petrobrás, tudo em relação a atos de corrupção passiva e lavagem de dinheiro praticados por Lula, segundo sentença de primeiro grau.

Lula é um, homem riquíssimo, conforme se vê agora. Os R$ 9 milhões são apenas parte do dinheiro que possui.

CLIQUE AQUI para lera sentença.São 214 páginas.

9 comentários:

Anônimo disse...

O que são 9 milhões para um gênio das finanças que já disse que seu filho é um Ronaldinho da economia, o qual em um dia deixou de ser estagiário de zoológico para virar rico e competente empresário?

Anônimo disse...

O coitado do operário comunista,não conseguiu continuar na profissão de baixos salários,e resolveu enriquecer,ele e familiares.
Todos ricos.
Comunista é bem assim.

LUIS disse...

TIROU DA ONDE O DINHEIRO , DEVE SER DA MEGA SENA KKKKKKKKKKKKKK E O IMPOSTO DE RENDA ?????????????

Anônimo disse...

ROUBANDO ASSIM TERIA QUE TER ESTE FIM

O OPERARIO PADRÃO ERA OPERARIO LADRÃO

Anônimo disse...

Pobre Lulladrão, já perdeu dois apartamentos e agora mis o saldinho em CC de 660 mil e mais esses 09 milhões de previdência. Pelo visto seu protetor Roberto Teixeira vai ter de lhe arranjar moradia e sustentação pelo resto da vida. Aliás, moradia não, pois esta já está garantida na Papuda.

Anônimo disse...

DINHEIRO daquelas palestras dadas por LULA para surdos, mudos!

Anônimo disse...

9 milhões que segundo ele seriam de 71 palestras. Palestras que não tem lugar nenhum na internet e nem no "You tube". Apenas vídeos rápidos (e raros) no site do PT.

Anônimo disse...

LÍDER EMPRESARIAL DISPARA CONTRA TEMER: FRACASSOU:

Presidente-executivo da Associação da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), José Velloso foi contundente ao criticar o aumento de impostos nos combustíveis executado por Michel Temer; para Velloso, Temer fracassou no ajuste fiscal; "E o plano fracassou por culpa da própria equipe econômica, que insistiu no corte de gastos em meio à maior recessão da história do país e não se preocupou em criar mecanismos para a retomada do crescimento", disse; segundo ele, Temer e Henrique Meirelles só adotaram medidas no sentido de "afugentar investimentos"; escalada tributária em meio à pior depressão econômica do País (...)

21 DE JULHO DE 2017 ÀS

247 - O presidente-executivo da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), José Velloso foi contundente ao criticar o aumento de impostos nos combustíveis executado por Michel Temer. Para Velloso, Temer fracassou no ajuste fiscal.

"E o plano fracassou por culpa da própria equipe econômica, que insistiu no corte de gastos em meio à maior recessão da história do país e não se preocupou em criar mecanismos para a retomada do crescimento", disse. "Ao contrário. As ações foram todas no sentido de afugentar investimentos", afirmou Velloso ao jornal Valor Econômico.

O líder empresarial afirmou que dos oito pontos de queda do PIB dos últimos três anos, "cinco foram causados pela falta de investimento", e criticou a lentidão do governo na redução da taxa de juros. Segundo ele, o juro real dobrou em meio à recessão, porque em 2015 o país teve perto de 10,5% de inflação e taxa Selic de 14,25% ao ano. Hoje, com a inflação em torno de 4%, a taxa básica caiu, mas está em 10,25%.

Por fim, o executivo da Abimaq criticou a falta de estímulos à exportação e a valorização do real, "que tira competitividade dos produtos brasileiros". Velloso disse não ser contra o ajuste fiscal, mas defende o aumento da arrecadação pela retomada da atividade.

PS: Os empresários, coxinhas, MBL, Médicos, evangélicos, Rede Globo a casa grande derrubaram dilma para botar seu "ventriloco", o traíra, para que os beneficiassem, em detrimento dos trabalhadores e os mais pobres se quebraram. Agora é mexer e gozar, como diria Marta Suplicy

Anônimo disse...

MORO VIROU CABO ELEITORAL DE LULA, DIZ REINALDO:

Um dos porta-vozes do movimento neoconservador brasileiro, o jornalista Reinaldo Azevedo afirma que o juiz Sergio Moro se converteu no principal cabo eleitoral do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ao condená-lo sem provas, no episódio do chamado "triplex do Guarujá"; "Hoje, um de seus cabos eleitorais involuntários, dadas a sentença e a resposta aos embargos de declaração, é Moro. Ele empurrou para o TRF-4 uma escolha sem saída virtuosa: ou confirma uma condenação sem provas e alheia à denúncia, o que seria um desastre, ou absolve o chefão petista, outro desastre", diz Reinaldo, que concorda com a defesa de Lula e afirma que a condenação não guarda relação com a acusação proposta pelo Ministério Público.

21 DE JULHO DE 2017

247 – A cada dia, fica mais claro que a democracia brasileira foi golpeada em razão do fator Lula. Depois da quarta vitória sucessiva do PT, em 2014, a direita nacional não suportou a hipótese da volta de Lula em 2018. Na fase um do golpe, a presidente legítima Dilma Rousseff foi derrubada com a armação em torno das chamadas "pedaladas fiscais". A fase dois, que prevê a condenação do ex-presidente Lula em primeira e segunda instâncias, está em pleno curso.

No entanto, o tiro pode sair pela culatra. Segundo o colunista Reinaldo Azevedo, ao condenar Lula sem provas, o juiz Sergio Moro se tornou num de seus principais cabos eleitorais. "Hoje, um de seus cabos eleitorais involuntários, dadas a sentença e a resposta aos embargos de declaração, é Moro. Ele empurrou para o TRF-4 uma escolha sem saída virtuosa: ou confirma uma condenação sem provas e alheia à denúncia, o que seria um desastre, ou absolve o chefão petista, outro desastre", diz Reinaldo, em artigo publicado nesta sexta-feira.

O jornalista que concorda com a defesa de Lula e diz que a condenação não guarda relação com a acusação proposta pelo Ministério Público. "Indagado, nos embargos de declaração, a respeito da ausência de nexo, na sentença, entre o apartamento e os contratos, o juiz respondeu de forma surpreendente e insólita: 'Este juízo jamais afirmou, na sentença ou em lugar algum, que os valores obtidos pela Construtora OAS nos contratos com a Petrobras foram usados para pagamento da vantagem indevida para o ex-presidente'. E a acusação feita pelo MPF? Se um juiz acha que um réu deve ser condenado por algo distinto do que está na denúncia que ele próprio aceitou, é forçoso que isso seja feito em outro processo", diz Reinaldo (...)

PS: Se RA falou, tá falado. Esse tem o "filling" acima da média dos vagabundos, digo, dos neo nazistas.