"Tropeço foi fatiar votação do impeachment", diz Gilmar em reposta a Lewandowski

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, disse nesta quinta-feira, que o único tropeço no processo de impeachment de Dilma Rousseff foi a realização de uma votação fatiada. O comentário de Gilmar foi uma resposta ao comentário do ministro Ricardo Lewandowski, que lamentou o impeachment de Dilma Rousseff, classificando o episódio como "um tropeço na democracia".

"Acho que o único tropeço que houve foi aquele do fatiamento, o DVS (destaque para votação em separado) da própria Constituição, no qual teve contribuição decisiva o presidente do Supremo", disse Gilmar, ao analisar a conduta do então presidente do STF, Ricardo Lewandowski, na condução do processo de impeachment.

Durante o julgamento, Lewandowski decidiu aceitar o destaque apresentado pela bancada do PT, que pediu que a votação do impeachment fosse dividida em duas partes, e não de maneira conjunta. Dessa forma, Dilma manteve os direitos políticos - embora tenha tido o seu mandato cassado.

14 comentários:

Anônimo disse...

Hahahaha, o levando o whisky podia ter ficado sem essa, foi dar uma de devedor do padim lulim, deu no que deu...

Anônimo disse...

disse tudo o gilmar mendes

Anônimo disse...

Supremo desarquiva ações contra Serra e ex-ministros de FHCDecisão da 1ª Turma do tribunal anula decisão de Gilmar Mendes que travava processos por improbidade:
95

Luiz Maklouf Carvalho - O Estado de S.Paulo

26 Março 2016

São Paulo - A 1ª Turma do Supremo Tribunal Federal, presidida pelo ministro Luis Roberto Barroso, derrubou no último dia 15 o arquivamento de duas ações de reparação de danos por improbidade administrativa contra os ex-ministros Pedro Malan (Fazenda), José Serra (Planejamento) e Pedro Parente (Casa Civil), entre outros integrantes do governo Fernando Henrique Cardoso (1995-2002).

O arquivamento havia sido determinado, em abril de 2008, pelo ministro Gilmar Mendes. A decisão da 1ª Turma, enquanto estiver de pé, determina o prosseguimento das ações, que tramitam na 20ª e 22ª varas federais do Distrito Federal.

Ajuizadas pelo Ministério Público Federal , na gestão do procurador-geral Antônio Fernando Souza, as duas ações criminalizavam a ajuda financeira, pelo Banco Central, aos bancos Econômico e Bamerindus, em 1994, e outros atos do Proer, o Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Fortalecimento do Sistema Financeiro Nacional. Uma das ações, da 22ª vara, teve sentença parcialmente procedente contra os réus.
Os ministros recorreram ao STF em 2002, com a Reclamação 2186. Arguíam que a Justiça Federal não era competente para julgá-los, e sim o STF, por terem direito à prerrogativa de foro. Pediam, então, além do julgamento de mérito, uma liminar que suspendesse de imediato a tramitação das ações.

Em 3 de outubro de 2002, três meses depois de entrar no STF, por nomeação de FHC – aprovada no Senado por 57 a 15 –, Gilmar Mendes, relator do caso, deferiu a liminar. Em 22 abril de 2008, véspera de assumir a presidência do STF, o ministro determinou o arquivamento das duas ações. (...)

E ESSA DECISÃO do Min Gilmar Mendes, foi tropeço ou proposital?

Carlos Mota disse...

E aí petralha famélico de vergonha na cara, das 16:19h. Se um safado estuprar tua mulher ou tua filha ele deverá ser perdoado, já que na antiguidade os tarados recebiam o perdão???
Deixa de ser ignóbil, apoiador de ladrões e lesas pátria.

Anônimo disse...

Acabou teu partido, sugiro que faças um concurso para estagiário de gari, talvez tenhas qualificação para isto, tendo em vista tua vocação para tentar limpar as imundas latrinas do petismo!

Anônimo disse...

AINDA tem muito dinheiro desviado para voltar pros cofres da PETROBRAS, é o caso do texto postado por PTISTA as 16:19.

Alguém pode avisar que a PF vai chegar nele?

Anônimo disse...

Eike quis entregar repasses ao PSDB e a reação da Lava Jato foi devolver a lista:

22/09/2016 - Cíntia Alves

Um empresário decide colaborar espontaneamente com a Lava Jato entregando uma lista de doações de cunho "oficial e privado" a vários partidos e políticos, incluindo o PSDB. Qual a reação dos procuradores? Descartar a informação porque extrapola o campo de combate contra as gestões petistas e devolver a lista? Pois foi o que aconteceu no caso Eike Batista e Guido Mantega.

Jornal GGN - Imagine a seguinte cena: um grande empresário brasileiro lê nos jornais que a Lava Jato chegou ao casal de marqueteiros que fez as campanhas de Dilma Rousseff em 2010 e 2014 e decide, espontaneamente, procurar a força-tarefa para explicar por que fez um repasse à dupla, em conta no exterior, no valor de R$ 5 milhões.

Para mostrar boa-fé, o magnata aproveita a oportunidade para entregar à Lava Jato uma lista de doações que ele fez de maneira "oficial" ou "privada" - sugerindo uso de caixa dois com direito a formulação de contratos de prestação de serviços.

Essas doações, segundo ele, foram feitas "republicanamente", com valores iguais a vários partidos e candidatos que o empresário sequer chegou a conhecer, como é o caso do senador Cristovam Buarque (PPS). E diz a frase mágica: se teve repasse de R$ 1 milhão ao PT, teve também ao PSDB.

Qual a reação dos procuradores? Descartar a informação porque extrapola o campo de combate contra as gestões petistas e devolver a lista? Pois foi o que aconteceu no caso Eike Batista e Guido Mantega.

Em operação casada, a Lava Jato prendeu e soltou o ex-ministro da Fazenda nesta quinta (22), enquanto o Estadão, simultaneamente, publicou os vídeos da delação de Eike gravados pela própria força-tarefa.

A cena narrada acima acontece por volta dos 5’30’’ do vídeo abaixo, quando os procuradores perguntam se Eike tem alguma observação a fazer logo no começo do depoimento.(...)

COM o PSDB tá tudo belezinha, né anonimos da 17:12?
ESSA pode perdoar anonimo das 17:02?

Enfim, não briguem com a noticia do Jornal Estado de São Paulo.....

Anônimo disse...

ué pq ele nao revê o merito entao? medinho? minoria?

H. Romeu Pinto disse...

Que petralha chato e sem caráter, todas ad postagens e vem ele com essa lenga lenga. Deu companheiro, teus heróis já foram todos. Agora o Ministro João Plenário deu no fígado do Levianovski. Vai procurar emprego otário.

Anônimo disse...

Sempre tem o dedo podre do petralha leviandowski para melar a democracia.
Apesar do esforço do leviandowski e do renan, a estrovenga sapiens e o cachaceiro terminarão seus dias na cadeia.
Espero que tenham a companhia do xi das 16:19.

Anônimo disse...

A verdade é dura anonimo das 20:06, falando nisso qual a providência que a PF vai tomar sobre essa gentalha que ofende e injuria o Ministro do STF Lewandowski?

Unknown disse...

Por mim podem prender todos, independente de partido!!!

Anônimo disse...

Esse tipo de debate entre ministros do Supremo (se é que da pra chamar isso de debate) só tem um adjetivo:

CHINELAGEM!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

LEvandowsky já deu vários escorregões e tropeços verbais, revelando sua simpatia pela canalha petista. FORA LEVANDOWSKY!!!!!