Fortunati propõe reposição de 9,24% para o funcionalismo de Porto Alegre

O prefeito José Fortunati, PDT, apresentou uma proposta de reajuste ao funcionalismo de Porto Alegre. Ele quer repor a inflação de 9,24%, de forma parcelada, nos meses de maio, outubro, dezembro e janeiro. Em janeiro, Fortunati não será mais prefeito e pela lei não pode fazer isto.

Os ervidores solicitam pagamento único para março.

Sobre o vale-alimentação, o valor também seria idêntico para reposição da inflação, mas desta vez pago de uma única vez, em maio. Os trabalhadores vão analisar a proposta a partir das 14h, na assembleia geral da categoria, que ocorre no Parque da Harmonia.


Hoje, a Prefeitura emprega mais de 20 mil servidores. 

8 comentários:

Anônimo disse...

isso fortunati , poderias aumentar ate mais,depois é so aumentar o IPTU a mais dos ricos,fazerem estes trouxas que te elegeram pagarem a conta.
o contribuinte, o povo,estes trouxas que se f...........

Anônimo disse...

Vamos consumir cada vez menos até que Porto Alegre acabe como o RS. A ficha ainda não caiu para esta turma.

Luiz Vargas disse...

Se pela lei não pode fazer, como então o peremPTório canalha embu$teiro prevaricador conseguiu fazer dando reajustes que irão até 2018?

Anônimo disse...

Vinte mil funcionários e Porto Alegre está um lixo, um abandono.

Cortem 25% e deem metas aos que ficarem!

Anônimo disse...

por motivos que (desconhecemos) os prefeitos entregaram a limpeza da cidade as empreiteiras e o resultado é essa imundicia que está a cidade...coitado daquele servidor que cobrar serviço das empreiteiras, com certeza será colocado numa sala de castigo ou num serviço sem muita importância...escrevo o que vivi.

Anônimo disse...

Fortunati faz jogo de cena para a mídia, tentando passar a ideia de um déficit orçamentário. Na realidade a PMPA tem recursos, sim, mas mal direcionados. Paga uma série de obras a terceiros, desde execução, projetos e consultorias que poderiam ser feitas por funcionários do quadro. Concede privilégios a categorias como procuradores, agentes fazendários, engenheiros e arquitetos, a secretarias como Fazenda, Administração com ganhos de produtividade e funções gratificadas diferenciadas. Sem contar a cecezada.Assim, sobra pouco para o barnabé comum, o operário, o assistente administrativo, o professor, o auxiliar de enfermagem.
Esta é a realidade, a escolha por um grupo de servidores, inviabilizando o correto trato da urbanidade e a justeza no pagamento. Sem contar a partilha de cargos entre os partidos políticos, muito feroz nestes tempos pré-eleitorais.

Anônimo disse...

isso fortunati, da aumento pro servidor que esta a serviço do povo,se depois faltar grana é so aumentar o iptu.
barbada.
ou trouxas pagarão sem reclamar ,calados.

Anônimo disse...

O anonimo das 11:55 falou tudo. Na hora de dar aumento para algumas categorias e gastar R$3.000.000,00 com a empresa Quantica para fazer o plano de carreira não foi problema.
Fortunati deu aula de como fazer uma péssima gestão.