Depois da roubalheira do Mensalão, ladrões perdem os escrúpulos e roubam até o carro oficial do presidente da Assembléia do RS

- Quem encontrar um carro como este, já sabe o que fazer.


Um carro oficial, a serviço da Presidência da Assembleia Legislativa gaúcha, foi roubado às 21h15min de quinta-feira em Porto Alegre. Trata-se de um Focus, preto, ano 2010. Ele era dirigido pelo motorista do presidente da Casa, Pedro Westphalen (PP) quando foi levado por dois bandidos no bairro Santo Antônio.

.Sozinho, o motorista chegava em casa, onde guardaria o veículo em uma garagem, pois hoje cedo levaria Westphalen para compromissos em São Gabriel e Rosário do Sul.

— O roubo de carro é um problema grave — lamentou Westphalen, que pegou outro veículo para ir adiante.

O LEITOR ROUBADO

Hoje eu fui mais uma vítima da insegurança em Porto Alegre. Ao voltar de uma caminhada no Parque Germânia, um marginal me apontou uma arma e tive que entregar o meu Nissan March (ISU-2103), que estava na frente da entrada principal do parque. A Brigada ao menos me atendeu bem e com agilidade.

Luís Henrique Vieira
luishfvieira@gmail.com

7 comentários:

Anônimo disse...

carro oficial sendo guardado na garagem de casa?

que bananão somos mesmo...

Anônimo disse...

BRASIL UM PAIS DE TODOS.

joao disse...

bem feito......

Flávio Paranhos disse...

O ladrão do carro do deputado tem, automaticamente, 100 anos de perdão...

Luiz Vargas disse...

É só reunir uma manifestação na frente do edifício que o embu$teiro reside que os carros aparecerão e os bandidos serão presos. Isto já funcionou antes.

Anônimo disse...

Tendencioso o jornaleiro, digo, editor, fazer um "link" com o roubo de um carro oficial do Presidente da Assembléia do RS,Westphalen e do PP com o"mensalão" da de Brasilia.

Qual a relação?

Anônimo disse...

Prezados,

Apresento o documento “Gmail - Complementos à Petição CIDH-OEA 2292-12”, http://pt.scribd.com/doc/137010155/Gmail-Complementos-a-Peticao-CIDH-OEA-2292-12 , onde estamos esclarecendo alguns pontos que por ventura ficaram obscuros quando de nossa apresentação de petição à CIDH-OEA, relacionada à Inconstitucionalidade do FORO PRIVILEGIADO, e por isso, à pueril avaliação do Habeas Corpus por mim impetrado no STF.

Abraços,
Plinio Marcos