Calçados e gás para Uruguaiana, mas não só isto, constam da agenda positiva de Dilma, hoje, na Argentina

A presidente Dilma Roussef sustentará nesta quinta uma agenda difícil com sua colega da Argentina, Cristina Kirchner.

. São inúmeros os atritos comerciais.

. O RS tem especial interesse no encontro, porque produto0s gaúchos têm sido penalizados pela exigência da Declaração juramentada de Importações, documento que entrava as importações argentinas.

. Nesta quarta-feira, a Abicalçados revelou ao editor que as exportações de calçados estão caindo. Em 2010, foram embarcados 14,1 milhões de pares, mas no ano passado o número caiu 15%, para 12 milhões. De janeiro até a metade de abril, os embarques caíram 23%.

. A alegação de que a Argentina quer melhorar seus números do comércio exterior não se sustenta, porque na medida em que caem as vendas brasileiras, calçados por exemplo, sobem compras argentinas dos mesmos produtos em outros Países. Este ano, o Brasil, que tinha fatia de 60% no mercado argentino de calçados, registrou apenas 44%, enquanto que os asiáticos elevaram sua fatia para 56%.

- Os gaúchos também querem ver resolvida a questão do suprimento de gás para a usina térmica a gás de Uruguaiana, do grupo americano AES.

Nenhum comentário: