A cada 12 horas, 7 dias por semana, um professor estadual fica doente no RS

No ano passado, 4.392 professores estaduais entraram em licença-saúde, o equivalente a 10% do total de professores concursados e em sala de aula.

Não existe nada parecido no universo empresarial.

Uma doença rara, embora conhecidíssima, ataca os professores estaduais gaúchos.

Um professor estadual fica doente a cada meio dia, chova ou faça sol, incluindo sábado, domingo, feriados, 30 dias por mês, 365 dias por ano.

A tabela revelada pela Seduc, mostra que outros 528 entram em licença para acompanhar parentes em doença, enquanto que 200 nem se dão ao trabalho de justificar nada, ingressando em licença para tratar de interesses particulares.

Todo mundo ganha salário como se estivesse em sala de aula.

41 comentários:

Anônimo disse...

Existe até um kit para conseguir laudo. Disface de louca e com depressão. Medicos tem grande parcela de culpa nisso.

Anônimo disse...

Enquanto isso são contratadoS milhares de professores sem concurso. Chamados temporarios

Anônimo disse...

É uma gandaia. Tenho parente no magistério. Eles tem direito até a folga sem justificar nem avisar. A grande maioria faz de conta que dá aula e geralmente tem escolas com falta de professores, que a disciplina está em aberto. E o corporativismo corre solto.

Mordaz disse...

Tinha que comparar com o salário e a absenteísmo na rede privada.

Anônimo disse...

Acho que o Governo deveria dar um Voucher para que, cada aluno escolher uma Escola Particular para Estudar, acredito que ficaria muito mais barato para o bolso do contribuinte e melhoraria o indice da Educação no Brasil.

Anônimo disse...

Não esquecendo as condições de trabalho de um professor da rede estadual, alem do salário atrasado, não tem material, tem muito aluno na sala, muitas vezes a sala em si não tem condições (quadros, cadeiras, mesas). Eu diria que era esperado, inclusive muitas aposentadorias precoces por problemas de saúde física e mental.

Não compara com ambiente empresarial pois o que estes professores passam nenhum bacaninha da iniciativa privada passa.

Anônimo disse...

Nada contra, mas o discurso de coitadismo, existe há muito tempo. E é utilizado toda vez que alguém "ousa", fazer alguns questionamentos sobre o magistério do RS. Não é a toa que a nossa educação cai a olhos vistos, e continua assim... Não existe ainda qualquer perspectiva de melhora. Há um "espírito de Corpo" incrível... Em suma, professores que não estão qualificados para a tarefa, e de tão pouca sintonia que tem com as necessidades da gurizada, pensam que fazem muito discutindo política e deixam o conteúdo abandonado. Lamentável isto tudo!

Anônimo disse...

Isso aí. A culpa da educação ruim no Brasil é dos professores. Deviam ser bons como os políticos e blogueiros.

Anônimo disse...

mas quem criou o monstro ? não foram os proprios professores ?

Anônimo disse...

Idem para universidades federais. Muito, mas muito mais barato para o governo e sociedade

Joel Robinson disse...

Republiqueta pelotense...

Anônimo disse...

O mais culpado é o médico que vende atestado

Anônimo disse...

É a farra dos atestados. Tem médicos que vendem atestados, mas como não podem ser contestados, é assim que funciona. Se somar os atestados e laudos comercializados e os falsos, dá esse tanto de servidor público encostado. Não é só no governo Estadual, nas prefeituras é assim também. No fim os que trabalham certinho pagam pelos sacanas.

Anônimo disse...

Tem que privatizar a educação.
Se o governo comprar vagas na rede privada, economizará mais da metade que custa um aluno na rede pública, e ainda terá uma educação superior a dada pelo poder público.
Se o governo ceder as estruturas, a mensalidade por aluno pode ser ainda mais barata.
Assim com certeza acaba essa dos professores ganharam matrícula cheia e dar uma ou duas aulas na semana, ou meterem atestado por qualquer enxaqueca ou depressãozinha. Na iniciativa privada, se não trabalhar direitinho é rua. Já no setor público é essa zona.

Anônimo disse...

Conheço bem esse meio. A malandragem corre solta e quase toda escola tem suas profs "carimbadas", conhecidas pela quantidade de atestados que apresentam. Geralmente, as diretoras fazem vista grossa e põem nas costas de uma professora temporária ou estagiária, assumir as aulas das folgadas. E quando o CPERS convoca para greve é uma festa, principalmente se marcada para uma véspera de feriado, o que garante um superferiadão para passear folgadamente.

Anônimo disse...

Os professores esquerdinhas criaram esse ambiente e fizeram a cabeça dos alunos, agora aguentem o próprio tiro no pé.
Aceitem os alunos anjinhos que vocês ajudaram a doutrinar rebeldes assim.

Anônimo disse...

Disse tudo!

Anônimo disse...

QUESTÃO MORAL, apenas isto, coisa que poucos brasileiros tem.

Falta de moral e o medo já não existe mais, logo, brasileiro faz o que lhe "dá na telha"!


Anônimo disse...

Ainda fazem greve por aumento de salário. O cara que criou o piso salarial - tarso genro - pregava que ia pagar o piso. Os professores elegeram ele, e o incompetente não pagou o piso e o CPERGS-sindicato pelego do PT, ficou bem quieto. Depois fazia greve no governo Sartori, querendo o piso salarial.

Elton disse...

Excelente comentário do anônimo da 16:53, basta pegar os números do gasto mensal do estado por aluno, que se chega à conclusão que o ensino público é mais caro que o privado. Quanto à qualidade nem entro nesse mérito.

Anônimo disse...

O Estado gasta mais de 60% do orçamento com educação. Se deixasse o ensino fundamental para o município como manda a Constituição, irá gastar menos e a qualidade melhorará

Anônimo disse...

Tem que acabar urgente com o privilégio desta categoria de se aposentarem antes que outros trabalhadores, isso é um absurdo. Os professores Estaduais se aposentam mas mesmo assim continuam trabalhando recebendo dobrado e ocupando uma vaga dos mais novos. Se está em condiçoes de trabalhar então não deveria se aposentar tão cedo. Tem professor que se aposentou antes dos 50 anos de idade, não existe erário que suporte essa bandalheira. O sujeito contribui por 25 anos (se é que contribuiu, os mais antigos) se aposentou aos 45 anos e ficou recebendo por mais 35 anos se viver até aos 80.
E ASSIM SÃO QUASE TODAS AS DEMAIS CATEGORIAS DO FUNCIONALISMO PÚBLICO. SÓ RESTA A VOCÊ FICAR TORCENDO PRA QUE ESSA GENTE MORRA LOGO PRA DESONERAR O ESTADO, UNIÃO E MUNICÍPIOS. VAI CHEGAR A UM PONTO QUE NEM A UNIÃO TERÁ DINHEIRO PARA PAGAR O FUNCIONALISMO EM DIA.

Anônimo disse...

Cuidado para não generalizar. Os que realmente trabalham não podem porque as condições de trabalho são péssimas. NÃO VAMOS SER IDIOTAS....

Luiz disse...

Não generalisa. Sou professor, trabalho 40 horas e quando ou preciso desenvolver algum trabalho especial, não me dão condições e ainda sou ridicularizado por pessoas como você.

Anônimo disse...

Anônimo das 16:54 hs perguntar não ofende : Por quê os professores não fazem como os bacaninhas e vão dar aulas em escolas particulares, se o serviço Público é tão ruim, por que ficar sofrendo.É melhor acender uma vela que amaldiçoar a escuridão.

aparecido disse...

Precisamos de uma limpeza pesada no magisterio brasileiro...desde as universidades ao pre primario...vgabundos grevistas tem que ser colocados no olho da rua.. Porque privilegios previdenciarios aos professores ??? são muito mais folgados que qualquer outra profissão...Se uma profissão merecesse privilegio no Brasil esta seria os agricultores.. Tomou cafe da manhã, almoçou e jantou hoje.. agradeça aos agricultores...agricultura não existe greve.. as plantas tem o dia certo para plantar, cuidados e colheita...fora destes dias se perdem..sem professores conseguimos viver.. sem agricultores morreremos todos de fome em poucos dias... Na Roma e Grecia antiga professores eram profissão de quinta categoria...importantes eram os soldados que defendiam o pais e os escravos que trabalhavam nas lavouras e produziam comida...temos que voltarmos a esse tempo...

Anônimo disse...

Exatamente isto. Quem nao estiver satisfeito com sua profissao , peça as contas.
Usar atestado medico, é desonesto .!!!

Anônimo disse...

Sem reajustes nos últimos 5 anos e com salários parcelados e contas a vista.
Só podem ficar depressivos mesmo.
Governos colhem o q plantam

Anônimo disse...

Mas é preciso fazer uma reportagem pelo menos um pouco melhor. Licença para tratar de interesse particular o professor não recebe remuneração.

Anônimo disse...

Se o governador quisesse ele resolve na hora este problema de atestados falsos:
É só mandar um espião para ver o que o professor está fazendo enquanto estás de atestado

Anônimo disse...

E é com essas pessoas que temos que deixar nossos filhos. Como se vê, gente seríssima, responsável, digna de toda confiança. Estão acima de qualquer suspeita, tanto que são sempre os pais que têm que ser fiscalizados.

Anônimo disse...

Comecem a reforma na educação remunerando melhor os Professores. NENHUM funcionafun da iniciativa privada com curso superior receber menos que um Professor. Tenho Mestrado em Educação, trabalho 40h na rede Estadual, sou concursado e meu salário líquido e R$ 2600,00. Se me provarem que alguém da iniciativa privada ganha menos que Eu, prometo não falar mais nada. Outra coisa, eu sou um dos afastados sim, acometido de uma bursite no ombro direito, reconhecida como doença profissional. Que comece o mimimi.

Anônimo disse...

Escolas Particulares? As mesmas que perdem alunos para a rede pública? Aquela em que os Pais, por falta de condições financeiras retiram os filhos? Que demite Professores anualmente para não gerar alta multa rescisória? E essa aí?

Anônimo disse...

A licença para tratamento de interesse NÃO É REMUNERADA e o sujeito ainda tem de recolher a previdência!...

Anônimo disse...

Nova Cuba ? alguem ?

Anônimo disse...

Parabéns a todos que externaram sua ira contra o funcionalismo público. Mas se você tem interesse em ingressar nessa "gandaia", largue tudo o que estiver fazendo e parta para o estudo! Seja um dos aprovados nos vários concursos disputadíssimos e faça parte da minha classe: dois cursos superiores, pós-graduação, especialização e 25 anos de trabalho com muita dedicação, responsabilidade e competência.
Vantagens da classe? Cito: receber pelas horas trabalhadas mas levar trabalho para casa sem receber pelas horas-extras; um curso gratuito de samba para rebolar com o salário que não dá condições de sustentar um filho, de viajar com ele nas férias, de adquirir e sustentar um carro, de ter atendimento médico de boa qualidade pois no plano de saúde oferecido, e descontado religiosamente, poucos profissionais querem se credenciar, de ter condições para pagar um profissional que cuide da nossa saúde mental, pois essa é uma necessidade de quem, além de suas atribuições, é assistente social, enfermeira, mediadora de conflitos e psicóloga dos filhos dos outros. Sem falar da baixa autoestima, porque, além da realidade apresentada, ainda somos desvalorizados e escrachados por pessoas que criticam sem terem conhecimento da realidade.

Anônimo disse...

A todos que externaram sua ira contra o funcionalismo público. Você tem interesse em ingressar nessa “gandaia”? Largue tudo o que está fazendo e parta para o estudo! Seja um dos aprovados nos vários disputadíssimos concursos e faça parte da minha classe: 2 cursos superiores, pós-graduação; especialização; 25 anos de trabalho com muita dedicação, responsabilidade e competência.
Vantagens da classe? Cito as do magistério público do RS: receber pelas horas trabalhadas no seu local de lotação mas levar trabalho para casa sem receber hora-extra; um curso intensivo de samba para rebolar com o salário recebido, que não dá condições de sustentar um filho, de viajar com ele nas férias, de adquirir e sustentar um carro, de ter atendimento médico de boa qualidade pois no plano de saúde oferecido, e descontado religiosamente, poucos profissionais querem se credenciar, de ter condições de pagar por um profissional que cuide de nossa saúde mental, pois essa é uma necessidade de quem, além de exercer as funções inerentes ao seu cargo, é assistente social, enfermeira, mediadora de conflitos e psicóloga dos filhos dos outros. Sem falar da baixa autoestima, porque, além da realidade apresentada, ainda somos desvalorizados e escrachados por pessoas que criticam sem ter conhecimento da realidade. Quem se habilita?

Anônimo disse...

Tome como exemplo o seu parente! Eu trabalho há 20 anos, sempre participo das formações continuadas fora do meu horário de trabalho (como todos os outros funcionários públicos do magistério)em finais de semana e no período de recesso. Além de tudo o que fiz por acreditar que seria melhor como profissional se melhorasse o meu currículo. Especialização e dois mestrados... Não somos coitados, nem participamos do "coitadismo", apenas lutamos por ambientes salubres, onde possamos oferecer aos estudantes educação de qualidade, a qual não está ocorrendo justamente porque nossas condições de trabalho pioram a cada dia. Trabalhamos diretamente com pessoas, crianças e adolescentes que tem sonhos e precisam de ajuda para realizá-los e sabemos que somente uma boa formação será capaz de auxiliá-los. Parem com este discurso de ódio, tomando sempre quem não faz como exemplo. Esse teu parente não me representa.

Anônimo disse...

Faz um concurso público, aprova, assume e faz melhor! Talvez você seja a pessoa que está faltando para salvar a educação!

Anônimo disse...

A todos que externaram sua ira contra o funcionalismo público. Você tem interesse em ingressar nessa “gandaia”? Largue tudo o que está fazendo e parta para o estudo! Seja um dos aprovados nos vários disputadíssimos concursos e faça parte da minha classe: 2 cursos superiores, pós-graduação; especialização; 25 anos de trabalho com muita dedicação, responsabilidade e competência.
Vantagens da classe? Cito as do magistério público do RS: receber pelas horas trabalhadas no seu local de lotação mas levar trabalho para casa sem receber hora-extra; um curso intensivo de samba para rebolar com o salário recebido, que não dá condições de sustentar um filho, de viajar com ele nas férias, de adquirir e sustentar um carro, de ter atendimento médico de boa qualidade pois no plano de saúde oferecido, e descontado religiosamente, poucos profissionais querem se credenciar, de ter condições de pagar por um profissional que cuide de nossa saúde mental, pois essa é uma necessidade de quem, além de exercer as funções inerentes ao seu cargo, é assistente social, enfermeira, mediadora de conflitos e psicóloga dos filhos dos outros. Sem falar da baixa autoestima, porque, além da realidade apresentada, ainda somos desvalorizados e escrachados por pessoas que criticam sem ter conhecimento da realidade. Quem se habilita?

Anônimo disse...

Acesse os dados do Saers e do IDEB e compare os resultados. Não generalize! Comente com argumentos concretos!