Assembleia do RS ignora a crise fiscal gaúcha e continua com votações paralisadas

Deputados federais e senadores, com muito mais dificuldades par chegar a Brasília, votam noite e dia para ajudar a resolver a crise dos caminhoneiros.

A Assembleia do RS insiste em não reunir a Mesa (os deputados reúnem a Mesa às terças-feiras para definir a pauta de votações do dia e da semana), sob a alegações inaceitáveis (necessidade de participar de reunião no Gabinete de Crise montada pelo governo Sartori e dificuldade de locomoção dos deputados que estão no interior).

Os deputados negam-se a discutir e votar as matérias relacionadas com a proposta de plebiscito para privatização ou federalização de CEEE, CRM e Sulgás, ponto vital para a adesão do governo gaúcho ao RRF dos Estados. O projeto que reduz o prazo par convocação da consulta já tranca pauta e se o plenário abrir para votações, ele terá que ser examinado em primeiro lugar.

A Assembleia ignora a crise fiscal gaúcha.